Notícia

Pós-julgamento

Trio de canibais dá entrevista exclusiva depois de condenação

O repórter Fernando Rodolfo, do SBT, entrevistou os três logo após o julgamento

Publicado em 17.11.2014, às 18:00 / Atualizado em 21.09.2016, às 21:16

Por Site Da TV Jornal

Reprodução/TV Jornal


O trio conhecido como "Canibais de Garanhuns" concedeu entrevista exclusiva após a condenação, que ocorreu na última sexta-feira (14), no Fórum de Olinda, no Grande Recife. Jorge Negromonte, Isabel Cristina e Bruna Cristina foram condenados pelo homicídio de Jéssica Camila Pereira da Silva, em 2008, além de agressão ao cadáver (canibalismo) e ocultação do corpo. O repórter Fernando Rodolfo, do SBT, conseguiu uma entrevista com os três logo após o julgamento.

Condenado a mais de 21 anos de prisão, Jorge Negromonte declarou que achou o julgamento justo, pois, segundo ele, "Deus é amor, mas também justiça". Ele disse que não se arrepende de nenhuma declaração dada ao longo do julgamento, pois só teria falado a verdade. Questionado sobre o laudo médico que não identificou sinais de transtorno mental nele, Jorge rebateu e afirmou que vários médicos já o diagnosticaram como esquizofrênico. Por fim, ele pediu perdão aos familiares das mulheres que matou e se disse completamente arrependido.



Bruna, que pegou 19 anos de prisão, iniciou a entrevista agradecendo a Deus, à juíza, aos jurados e aos advogados de defesa. Ela disse que foi difícil enfrentar os dois dias de julgamento, mas acredita que a justiça foi feita, pois participou do crime e teve que ser penalizada. Questionada sobre o motivo de ter rido durante diversos momentos do julgamento, Bruna disse que sorriu por algumas colocações feitas pela promotora. Ela confirmou que durante todo o processo falou a verdade e teria dado, inclusive, informações que não constavam nos autos processuais. Ao final da entrevista, Bruna pediu perdão ao pai e à filha de Jéssica Camila. Por último, ela declarou que ama muito a filha de Jéssica e que espera que a menina possa perdoá-la um dia.



Isabel Cristina foi condenada a 19 anos de prisão e acredita que a pena foi justa. Ela agradeceu aos advogados de defesa, à juíza e aos jurados. Quando o repórter perguntou por que ela chorou tanto ao longo do julgamento, Isabel afirmou que chorou por se sentir arrependida. Ela disse que falou a verdade em todos os momentos do processo e que espera um dia sair da prisão.

Os advogados de defesa vão apelar para reduzir a sentença dos três.