Notícia Itambé

Familiares de estudante baleado em protesto se revoltam com violência


Publicado em 20.03.2017 , às 08:20 / Atualizado em 20.03.2017 , às 14:55

Por TV Jornal

Reprodução/TV Jornal

Na última sexta-feira (17), um estudante foi baleado durante um protesto em Itambé, na Zona da Mata de Pernambuco. A família do jovem e a população do município estão revoltados com a ação da Polícia e a insegurança na cidade, que, segundo moradores, só conta com tem 3 policiais para fazer a segurança dos cerca de 36 mil habitantes.

A mãe de Edvaldo Alves da Silva, de 23 anos, ficou desesperada ao saber que o filho foi baleado por policiais durante o protesto. "Meu filho não é bandido", disse. O irmão da vítima, José Roberto, afirmou que não conseguiu prestar queixa. "Eu cheguei na delegacia pra entrar com o BO, aí o rapaz que estava lá disse que não podia fazer, porque foi um policial que atirou nele", contou.

Segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS), o disparo foi de bala de borracha. A SDS determinou abertura de inquérito policial e de um procedimento administrativo para apurar a ocorrência, e a Delegacia de Itambé está acompanhando o caso. A corregedoria da Secretaria instaurou procedimento disciplinar para investigar a conduta dos policiais.



O Hospital Miguel Arraes, em Paulista, no Grande Recife, informou que a bala teria atingido uma veia, na coxa do rapaz, e que por isso ele perdeu muito sangue. O estudante continua internado na Unidade de Tratamento intensivo (UTI) do hospital. Nesse domingo (19), ele foi submetido a uma intervenção para retirada de compressas colocadas em cirurgia para estancar sangramentos. Seu estado de saúde vem apresentando melhora significativa, mas o jovem continua realizando hemodiálise e respirando através de aparelhos. 

Insegurança

Por causa da violência, os comerciantes de Itambé passaram a fechar as lojas mais cedo. "Eles estão fazendo arrastão. A gente não pode estar nem numa calçada conversando, nem na rua", conta o comerciante Ivanildo Félix. Em menos de uma semana, 4 ônibus escolares que levavam estudantes da zona rural para o município foram assaltados. "A população quer polícia, não mais bandido pra vir e atirar em uma pessoa que tá reivindicando segurança", afirmou o motorista de ônibus Antônio Marcos Tavares, que foi assaltado enquanto trabalhava dirigindo um desses ônibus.

O protesto

A manifestação ocorreu por mais de oito horas. Um grupo com cerca de 300 moradores fechou a PE-75, na entrada da cidade, para cobrar reforço da segurança no município. Segundo eles, Itambé só conta com três policiais para atender uma população de 36 mil pessoas. Os moradores informam ainda que, na última quarta-feira (15), houve 15 assaltos em menos de 24 horas. Estabelecimentos comerciais e residências foram invadidos por criminosos, segundo a população.

Vídeo


Veja Também