Notícia Transporte

Cancelada paralisação do Metrô que aconteceria nesta quinta e sexta


Publicado em 13.09.2017 , às 19:55 / Atualizado em 13.09.2017 , às 20:42

Por TV Jornal

Reprodução/TV Jornal

O Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Metroviários e Conexos de Pernambuco (Sindmetro-PE) realizou uma assembleia na noite desta quarta-feira (13) para votar indicativo de paralisação, que protestaria pela continuidade dos problemas de segurança e falta de investimentos no setor. A categoria, no entanto, optou por não cruzar os braços nesta quinta (14) e sexta-feira (15). Sendo assim, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos - Recife informou, por meio de nota, que o metrô funcionará normalmente, das 5h às 23h, suspendendo o esquema especial montado para paralisação anteriormente anunciada pela categoria.

“Recuamos para não haver possibilidade de interferência do ato no dissídio. Mas a indignação permanece, pois o metrô continua operando em más condições”, afirmou Levi Araújo, em entrevista ao JC Online. Em relação ao reajuste salário, os metroviários pedem 12,29% de aumento e ainda não há contraproposta.

Resposta

O Sindicato dos Metroviários de Pernambuco (Sindmetro-PE) divulgou, em nota, a confirmação do cancelamento da paralisação que aconteceria nesta quinta e sexta-feira. Confira abaixo:

"Metroviários de Pernambuco, por unanimidade, decidiram suspender a greve de 48 horas que havia sido decretada no dia 05 de setembro e que deveria ocorrer nessa quinta (14) e sexta-feira (15). A partir do entendimento de que a paralisação poderia prejudicar o julgamento do dissídio que tem audiência de conciliação no dia 20 desse mesmo mês, os trabalhadores decidiram suspender o movimento paredista. A categoria vai se unir ao ato público de protesto que vai ocorrer às 14 horas na praça do Derby e tambem realiza Assembleia Permanente no dia vinte"



Reivindicações

Os trabalhadores do Metrô do Recife haviam votado positivo pela paralisação de 48h no dia 5 de setembro. Para atender os passageiros, o Grande Recife Consórcio de Transportes e a própria CBTU já haviam divulgado um esquema de mobilidade para esta quinta e sexta-feira. 

Na ocasião, os metroviários, que já estavam em estado de greve há cerca de três meses, afirmaram que a paralisação visava apontar o descontentamento da categoria com a política de privatização do sistema, bem como com a falta de segurança e investimento e a política de arrocho salarial. "O sentimento da categoria era de fazer greve por tempo indeterminado, mas os trabalhadores querem dar a oportunidade da empresa se posicionar com propostas concretas", disse Levi Arruda, diretor de Comunicação do Sindmetro-PE.

"Não se trata de aumento salarial. Essa pauta já seguiu para dissídio no TST [Tribunal Superior do Trabalho], até porque a empresa ofereceu aumento de 0%. O que está em pauta agora é o completo desmonte do sistema metroviário. Essa situação de insegurança, trens lotados. A situação é de estresse e medo, tanto da população como dos trabalhadores", explicou Levi Arruda.


Veja Também