Notícia Desorganização

Terminais Integrados do Grande Recife são retrato do descaso


Publicado em 13.03.2018 , às 17:15

Por TV Jornal

Reprodução/TV Jornal

O serviço de transporte público em Pernambuco é motivo de reclamação recorrente dos usuários. Seja de ônibus ou metrô, os problemas sempre estão presentes e quem sofre é a população. O Grande Recife Consórcio, responsável pelo gerenciamento do sistema de ônibus, tem 24 Terminais Integrados na Região Metropolitana do Recife, e alguns deles encontram-se em situação de descaso.

Joana Bezerra

No Terminal Integrado Joana Bezerra, na área central do Recife, passam 38 mil pessoas por dia. Os passageiros que utilizam o T.I. precisam disputar espaço com o grande comércio ambulante no local. Vendedores e mercadorias ficam nos corredores e áreas destinadas à passagem de pedestres, sem contar no lixo que se acumula no espaço.

A desorganização no terminal aumenta com a presença de motoqueiros, que utilizam a entrada da estação como atalho. Os banheiros estão quase todos interditados, apenas um boxe no feminino funciona para atender todas as usuárias. Na área destinada a alimentação, nenhum dos espaços está funcionando e um já foi danificado pela ação de vândalos, o que intensifica o número de ambulantes dentro do espaço do T.I.

A estrutura do Terminal também apresenta problemas. "Tudo danificado, até as borboletas estão quebradas. Precisa de uma melhora o mais rápido possível", reclama o auxiliar de cozinha Carlos. Confira no vídeo abaixo:

Xambá

Em Olinda, na Região Metropolitana do Recife, o Terminal Integrado Xambá, que fica no bairro de Peixinhos, recebe cerca de 50 mil usuários todos os dias. E quem utiliza o T.I., que foi construído há apenas cinco anos, encontra dezenas de problemas. O espaço está tomado por cachorros e pombos, além do vazamento da fossa, que está entupida e faz escorrer esgoto pelo Terminal.

"Ratos, cachorros, fossa. O mal cheiro é horrível, até quem mora perto reclama", conta a comerciante Ana Cristina. Para quem precisar usar os banheiros do local, a situação não é diferente. As privadas estão entupidas, as portas não tem fechaduras, não há torneiras para lavar as mãos e as janelas estão quebradas.



Além de todos os problemas, os passageiros reclamam da espera pelos ônibus. "Pior de tudo é a demora dos ônibus, a gente passa duas horas num aparada esperando um coletivo. Tem que colocar mais ônibus para circular e melhorar os banheiros", considera a dona de casa Cristiane Ribeiro. Veja:

Cajueiro Seco

O Terminal Integrado de Cajueiro Seco, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, funciona há 5 anos atendendo quase 32 mil pessoas diariamente, que sofrem com o descaso no espaço. Uma parte da calçada está quebrada e atrapalha a circulação. O local também foi alvo de vândalos e pichadores.

O grande número de ambulantes também é um problema neste T.I.. Além disso, as escadas rolantes estão quebradas e, nos banheiros, faltam lixeiros e as portas estão sem fechaduras. "A gente passa dificuldade com as escadas rolantes e elevadores parados. Muita gente deficiente e idosos ficam na dificuldade, a gente vê e não pode fazer nada. Isso tudo poderia melhorar, porque pagamos nossos impostos, nada disso é de graça", diz a auxiliar de serviços gerais Marleide Gomes. Assista:

Grande Recife

Por meio de nota, o Grande Recife Consórcio informou que tem conhecimento dos problemas relatados e que está fazendo um levantamento de todas as demandas, bem como já está trabalhando para sanar questões como troca de lâmpadas, torneiras, caixas de descarga e fechaduras.

Sobre a manutenção dos banheiros do T.I. Xambá, o consórcio informou que o serviço é realizado diariamente. O problema de esgoto estourado dentro do terminal vem sendo resolvido com a desobstrução da fossa.

Ainda segundo o grande recife, vários problemas são causados por atos de vandalismo. De acordo com a nota, só este ano foram gastos em média R$ 20 mil por mês com a manutenção dos terminais.


Veja Também