Notícia Protesto

População fecha ruas em protesto ao assassinato de porteiro no Recife


Publicado em 17.05.2018 , às 14:55 / Atualizado em 17.05.2018 , às 15:03

Por TV Jornal

Reprodução/TV Jornal

A Comunidade do Papelão, no bairro de São José, na área central do Recife, amanheceu chocada com o crime que deixou uma pessoa morta e duas feridas, na a quarta-feira (16). Os moradores se uniram para protestar contra a insegurança na área. O porteiro Adriano Cordeiro da Silva, de 30 anos, foi assassinado na frente da casa da mãe. O crime aconteceu por volta das 18h30.

Os moradores fecharam as vias sentido Joana Bezerra aos gritos de "polícia assassina". Segundo a população, o crime tem relação com o atropelamento de quatro policiais militares na linha férrea do metro, no qual dois morreram e outros dois ficaram feridos."Pedimos justiça aqui. A polícia é para fazer a segurança da população. Eles tão alegando que houve um tiroteio, mas não existiu nada", disse um morador, que com medo de represália não quis se identificar.

Câmeras de segurança flagraram a ação. Dois carros entraram na comunidade e homens encapuzados e com coletes desceram dos veículos atirando contra os moradores que estavam na rua.

Outras vítimas

O primo de Adriano, Cláudio Oliveira da Silva, de 32 anos, que também é porteiro, foi baleado no abdômen. Uma menina, de 16 anos, que estava na casa ao lado, também foi atingida no ouvido. Os dois foram socorridos para o Hospital da Restauração, no bairro do Derby, área central do Recife.



O caso

De acordo com testemunhas, as vítimas conversavam na frente de uma casa, ontem à noite, quando sete homens encapuzados chegaram em dois carros e atiraram várias vezes.

Esse tiroteio aconteceu no mesmo lugar onde dois policiais militares morreram e outros dois ficaram feridos depois de serem atropelados por um trem, durante uma operação policial.

O porteiro Adriano Cordeiro da Silva, de 30 anos, foi baleado na cabeça e morreu logo depois de dar entrada no Hospital da Restauração, no bairro do Derby, área central do Recife. Os outros dois também foram levados ao HR.


Veja Também