Investigação

Moradores de denunciam ação truculenta de policiais durante operação


TV Jornal
TV Jornal
Publicado em 08/01/2018 às 10:16
Leitura:

-Reprodução/TV Jornal

Moradores da Zona Norte do Recife, procuraram a Corregedoria da Secretaria de Defesa Social (SDS), no bairro da Boa Vista, para denunciar uma ação truculenta de policiais civis, entre eles delegados. A ação teria acontecido na Rua Caetés, no bairro de Apipucos, durante a operação Miritiba, que aconteceu na última sexta-feira (05).

Segundo a denúncia, os policiais teriam quebrado o portão de uma casa na localidade para cumprir um mandado de busca e apreensão. A corporação estava à procura de materiais de uma organização criminosa envolvida em homicídios, tráfico de drogas e venda de armas.

Segundo uma das moradoras da residência invadida pelos policiais, no imóvel, não havia nenhum suspeito de participar da quadrilha. "Assim que eu escutei a porrada no portão, eu já me levantei. Deu a primeira e na segunda eu já abri minha porta. Quando eu perguntei: O que é isso? Eles responderam: Polícia Civil. Busca e apreensão de armas e drogas. Aí eu disse: Moço, aqui não tem nenhum traficante", falou a dona de casa Vera Lúcia dos Santos.

A técnica de enfermagem, Maria Verônica dos Santos, que também mora no local, contou que ela, crianças e também uma idosa, que estavam dentro do imóvel, acordaram assustadas. Ainda segundo ela, depois que os policiais perceberam que tinham invadido a casa errada, pediram desculpas. "O próprio delegado que fez isso, reconheceu o erro dele e percebeu que realmente o que ele estava abordando ali não tinha sentido algum", disse Maria Verônica.

Os vizinhos das vítimas tentaram filmar a ação truculenta dos policiais, mas teriam sido impedidos de fazer o registro. "Um dos policiais viu a filmagem, foi até ele e levou o celular do meu vizinho", conta Leila dos Santos. Revoltada com a situação, a família abordada pelos policiais esteve na sexta-feira (5) na Corregedoria da Secretaria de Defesa Social (SDS) para formalizar uma denúncia.

Resposta

Por meio de nota, a Polícia Civil de Pernambuco informou que seguiu o procedimento padrão e legal durante a Operação Miritiba. Ainda segundo a nota, o delegado Ícaro Schneider, que participou da ação, disse que nenhum celular foi subtraído pelos policiais civis. Leia a nota na íntegra:

"A Polícia Civil de Pernambuco informa que seguiu o procedimento padrão e legal durante a Operação Miritiba, deflagrada nesta sexta-feira (05/01). A corporação ainda esclarece que cumpriu os seis mandados de prisão preventiva e sete mandados de busca e apreensão domiciliar, expedidos pelo Juiz da 1ª Vara Criminal da Comarca de Paudalho. O delegado Ícaro Barros Schneider, que participou da ação, desconhece esse fato e diz que não há nenhuma informação sobre um celular subtraído por policiais civis. A corporação também informa que está à disposição para receber a denunciante e ouvi-la formalmente. A instituição reitera que foram realizadas, durante o ano de 2017, 57 Operações de Repressão Qualificada. Todas sem registro de incidentes."