Timbaúba

Mulher morta por ex-marido ia tentar prestar queixa no dia do crime


TV Jornal
TV Jornal
Publicado em 09/05/2018 às 8:25
Leitura:

-Reprodução/TV Jornal

A mulher morta a facadas pelo ex-marido em Timbaúba, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, foi ameaçada horas antes de o crime ser cometido. Cláudia Aguiar Rodrigues, de 46 anos, foi assassinada na frente da casa da irmã, quando voltava de uma festa na cidade de Itambé.

Segundo a parente, a vendedora foi ameaçada também na frente da casa dela. "Ele abordou ela aqui na porta da minha casa e ameaçou: 'Se prepare, viu? Você vai ver'", relatou. A vítima tentou denunciar na delegacia da cidade, mas encontrou o local fechado.

Ainda segundo a irmã, ao voltar da delegacia, a vendedora tinha dito que ia tentar fazer um boletim de ocorrência na segunda-feira, quando voltasse da festa, exatamente quando o crime aconteceu. "Aí ela voltou [da delegacia fechada] e disse assim: 'Segunda-feira, quando eu chegar da festa, eu vou abrir um BO, porque eu não estou aguentando mais as ameaças dele'", contou a irmã.

O crime

A vítima foi morta a facadas na frente da casa da irmã por volta das 4h30, quando chegava de uma festa na cidade de Itambé, também na Mata Norte. De acordo com a polícia, a mulher estava chegando na residência quando João chegou, desceu do carro com uma faca peixeira e desferiu imediatamente os golpes na ex-esposa.

A vendedora teria tentado prestar queixa no sábado (5) contra o ex-marido, suspeito de cometer o homicídio, mas não conseguiu. Segundo a irmã da vítima, que preferiu não se identificar, a Delegacia de Timbaúba, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, que deveria possuir uma equipe de plantão, estava fechada e Cláudia não conseguiu prestar queixa. Na noite do último sábado, ele teria ameaçado a ex-companheira de morte. A irmã da vítima afirmou ainda que o casamento de Cláudia e do também vendedor João Clímaco Rodrigues, de 51 anos, era marcado por brigas.

Os dois foram casados por mais de 20 anos e estava separados há dois meses. No entanto, o homem não aceitava o fim do relacionamento. A vendedora morou durante quase toda a vida em Timbaúba, mas, após a separação, se mudou para Carpina. Ela deixou três filhos, frutos do casamento com João e uma neta.