IGREJA METODISTA

DIVISÃO: Igreja Metodista se divide oficialmente após décadas de debates sobre questões LGBT

Nova denominação é mais conservadora e diz que a homossexualidade é incompatível com o ensino cristão

Emilia Prado
Emilia Prado
Publicado em 04/05/2022 às 14:35 | Atualizado em 04/05/2022 às 14:37
Notícia
Kathleen Barry/UMNS
Bispos da Igreja Metodista Unida em Conferência Geral de 2019 - FOTO: Kathleen Barry/UMNS
Leitura:

No último domingo (1°), foi oficialmente dividida uma das denominações mais tradicionais da igreja cristã. Além da Igreja Metodista Unida, nasce agora a Igreja Metodista Global, que seguirá uma vertente mais conservadora.

Leia também: Fachada de igreja evangélica é pichada: 'Deus é gay'; veja imagem

O motivo da divisão foi a discussão sem fim entre a liderança sobre as questões LGBTQ+ na igreja. Desde 1972, a prática da homossexualidade é considerada "incompatível com o ensino cristão", de acordo com o Livro de Disciplina da denominação.

Durante os conselhos de liderança que acontecem periodicamente, os Metodistas Unidos Progressistas questionavam as doutrinas relacionadas à sexualidade nas últimas décadas.

Discussões internas

Em 2016, os bispos anunciaram uma sessão da Conferência Geral da Igreja Metodista totalmente dedicada ao tema. Apesar do destaque recebido, a proibição da ordenação de ministros homossexuais e da realização de casamentos LGBTQ+ se manteve com a aprovação do "Plano Tradicional", em 2019.

Sid Hastings / Associated Press
Membros da Igreja Metodista Unida após derrota da proposta que teria permitido o clero homossexual e o casamento LGBT - Sid Hastings / Associated Press

Os líderes mais progressistas decidiram desconsiderar essa decisão, e o conflito continuou. Até que surgiu um possível acordo para a criação de uma denominação mais "conservadora", separada, que receberia US$ 25 milhões nos próximos quatro anos.

Uma Conferência Geral foi marcada para 2020, para a discussão do acordo. Porém, a reunião acabou sendo adiada várias vezes por causa da pandemia.

A última remarcação foi no início de 2022 e indicava a data da reunião para 2024, mas os bispos conservadores não aceitaram e anunciaram a saída oficial da Igreja Metodista Unida.

Como fica a Igreja Metodista agora?

O Conselho de Liderança Transitória da Igreja Metodista Global lançou um comunicado explicando os motivos da separação e criação da "nova ala" conservadora.

De acordo com o reverendo Keith Boyette, presidente do Conselho, o lançamento foi motivado por muitas pessoas estarem "cansadas do conflito não ser abordado e resolvido pela Igreja Metodista Unida".

Boyette informou que o Conselho não sabe ao certo quantos clérigos e igrejas se juntarão à denominação, mas acredita que centenas de igrejas nos EUA já começaram o processo de desfiliação da Igreja Metodista Unida.

O reverendo ainda comentou à imprensa que a separação não é motivo para se comemorar. “Acho que ninguém está dançando de alegria por estarmos neste lugar no Metodismo. Acho que há uma tristeza por termos chegado a esse ponto”.

Comentários

Mais Lidas