EUA

"Pastores brancos que não se pronunciarem contra a supremacia branca nas igrejas vão para o inferno", diz pastor de Buffalo

Onze das 13 vítimas do ataque na cidade eram pessoas negras

Emília Prado
Emília Prado
Publicado em 16/05/2022 às 18:22 | Atualizado em 16/05/2022 às 19:03
Notícia
Reprodução/Youtube
Pastor evangélico fala sobre o assassinato de pessoas negras no sermão - FOTO: Reprodução/Youtube
Leitura:

Pastor evangélico da cidade de Buffalo, Nova York, Darius G. Pridgen deu uma forte declaração associada ao assassinato em massa que aconteceu em um bairro predominantemente negro na cidade, no último sábado (14).

Numa triste manhã de domingo para os membros da Igreja Batista True Bethel, o líder disse que os seus colegas pastores brancos que não se pronunciarem contra a supremacia branca nos púlpitos das igrejas "podem ir para o inferno".

"Eu gostaria de falar isso publicamente, especialmente para os pastores brancos, não me diga que você é amigo da nossa comunidade se você não abordar esse assunto hoje no seu púlpito", declarou Pridgen, no culto dominical da sua igreja, com transmissão para milhares de pessoas.

O ataque

Um homem branco de 18 anos entrou armado em um supermercado e disparou dezenas de vezes. Dez pessoas morreram e três ficaram feridas. Das 13 vítimas do crime, 11 eram negras. O ataque foi filmado pelo próprio atirador, que pretendia transmitir a ação ao vivo.

O FBI investiga o massacre como "crime de ódio e extremismo violento com motivação racial" e acredita que o crime tenha sido premeditado, já que o atirador mora em uma cidade a algumas horas de distância de Buffalo.

Comentários

Mais Lidas