VIOLêNCIA

Pai de motorista de aplicativo acha que filho foi morto por conhecido

Corpo de Rômulo Moreira foi encontrado perto da Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata. Carro foi incendiado


Pai de motorista de aplicativo acha que filho foi morto por conhecido

Ednaldo Moreira, pai do motorista de aplicativo achado morto em Sâo Lourenço da Mata. Foto: Tião Siqueira/JC Imagem - Foto: Tião Siqueira/JC Imagem

O pai do motorista de aplicativo Rômulo Vítor Moreira do Nascimento, encontrado morto na noite de sexta-feira, em São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife (RMR), acredita que o filho foi assassinado por alguém conhecido. Ednaldo Moreira, muito abalado, falou durante o enterro do filho, que foi velado em um caixão fechado por conta da brutalidade do crime.

“Ele estava com um tiro no olho. Se fosse alguém que não o conhecia, do jeito que queimou o carro teria queimado o corpo dele junto”, opina Ednaldo. "Eu pensava que iria morrer primeiro do que o meu filho", desabafou.

A polícia ainda não tem suspeitos, mas acredita que o motorista tenha sido vítima de latrocínio (quando o criminoso mata para roubar).  O veículo foi localizado na quinta-feira, na Estrada da Granja, em Camaragibe, também na RMR, onde, de acordo família, o rastreador foi desligado às 22h24 da noite de Natal (25).

Ednaldo Moreira, pai do motorista de aplicativo achado morto em Sâo Lourenço da Mata.
Corpo de Rômulo Vítor foi sepultado no Cemitério de Santo Amaro, no Recife.
Foto: Tião Siqueira/JC Imagem

 O corpo só foi encontrado quase 36 horas depois do veículo. Estava em São Lourenço, nas proximidades da Arena de Pernambuco, numa região de difícil acesso. Segundo o pai, Rômulo era uma pessoa tranquila: “Meu filho era uma pessoa que não brigava com ninguém. Meu filho era um menino que não bebia, não fumava. Era do trabalho para casa e para família dele”. Dias antes, a esposa relatou que ele tinha começado a trabalhar à noite há cerca de um mês e estava preocupado com a violência.

Em entrevista ao Jornal do Commercio, o presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativos de Pernambuco (Amape), Thiago Silva, afirmou que este foi 7º caso de homicídio contra motoristas de aplicativo em Pernambuco.  Segundo ele, só dois casos foram solucionados. A Associação emitiu nota lamentando a morte de Rômulo Vítor:

"A AMAPE - Associação dos Motoristas de Aplicativos de Pernambuco está de luto pela morte do motorista parceiro, Romulo Vitor M. Do Nascimento. A AMAPE se solidariza com os familiares e se coloca à disposição para auxiliar no que for necessário. Por fim, a AMAPE espera que a Polícia Civil de Pernambuco encontre os culpados e que a empresa Uber seja responsabilizada, na hipótese dele estar em viagem pela plataforma no momento do ocorrido."

Em nota enviada ao Jornal do Commercio, a Uber declarou:

"Estamos profundamente entristecidos em saber que Rômulo foi vítima desse crime terrível. Compartilhamos nossos sentimentos de mais profundo pesar com a família do motorista. A Uber vai colaborar com as investigações, na forma da lei, e esperamos que as autoridades tragam o responsável à justiça o mais rápido possível".

O aplicativo de transporte 99 também emitiu nota:

"A 99 lamenta profundamente este terrível caso de violência e se solidariza com a família e amigos do motorista Romulo Vitor Moreira do Nascimento."  (...) "O fato ocorreu em corrida que não foi realizada dentro da plataforma da 99 e a empresa espera que a polícia consiga levar o caso à justiça".

Enterro e protesto

O corpo de Rômulo Moreira foi velado e enterrado no cemitério de Santo Amaro, no Recife, neste sábado (28).  A mãe, Maria Rita Jesus, não conseguiu olhar o filho caçula pela última vez, já que o caixão estava lacrado. Também neste sábado, na Avenida Dr. Belmiro Correia, em Camaragibe, motoristas de aplicativos se reuniram para pedir segurança e justiça. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.