POLíCIA

Clássico entre Sport e Santa Cruz é marcado por violência

Mesmo com a determinação do fim das torcidas organizadas, brigas e confusões aconteceram antes, durante e após o jogo

Clássico entre Sport e Santa Cruz é marcado por violência

De acordo com a nota da SDS, trabalharam na operação do jogo, 497 policiais militares, na área interna, externa e principais vias de acesso à Ilha do Retiro - Foto: Cortesia

O Clássico das Multidões, entre Sport e Santa Cruz, nesse sábado (7), na Ilha do Retiro, foi mercado pela violência. Antes, durante e após o jogo, grupos que apoiam os dois times se enfrentaram e provocaram medo e confusões pela Região Metropolitana do Recife, mesmo com a determinação do fim das torcidas organizadas.

>> Juiz determina extinção da Torcida Jovem do Sport, da Inferno Coral e da Fanáutico

'

Segundo nota da Secretaria de Defesa Social (SDS), brigas foram registradas na Avenida Agamenon Magalhães e sobre a Ponte José de Barros Lima, que dá acesso ao bairro da Ilha Joana Bezerra. Ainda de acordo com a nota da SDS, trabalharam na operação do jogo, 497 policiais militares, na área interna, externa e principais vias de acesso à Ilha do Retiro. No entanto, isso não impediu os flagrantes de violência, que sempre são registrados após os jogos.

>> Jovem é espancado durante confusão entre torcidas após clássico

>> Planos de possíveis ataques no carnaval encontrados em sede de torcida

>> Santa Cruz realiza ação com crianças presentes em confusão provocada por torcida organizada do Sport

>> Vídeo mostra nova briga entre torcedores em estação do metrô do Recife

Polícia

Confira, na íntegra, a nota da Secretaria de Defesa Social (SDS):

A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS) informa que as polícias do Estado atuam de forma técnica e dentro da legalidade, buscando preservar a vida dos cidadãos, principal diretriz do Pacto pela Vida. Dessa forma, o Grupamento Tático Aéreo (GTA) atuou neste sábado (07/03) para dispersar uma briga entre torcedores do Santa Cruz e do Sport na Avenida Agamenon Magalhães e sobre a Ponte José de Barros Lima, que dá acesso ao bairro da Ilha Joana Bezerra. Por volta das 14h30, o GTA foi acionado pelo CIODS e utilizou artefatos não-letais de efeito moral (gás lacrimogêneo) para ajudar a conter torcedores que promoviam tumulto, contando também com a intervenção, em terra, de policiais militares do 12º Batalhão.

É importante reforçar que as forças de segurança pública de Pernambuco estavam preparadas para garantir a segurança no clássico, tendo lançado 497 policiais militares para realizar o policiamento na área interna, externa e principais vias de acesso ao estádio da Ilha do Retiro. O 12º BPM garantiu a presença de 385 policiais no acesso ao local da partida, inclusive com guarnições motorizadas nas áreas de estações de metrô e terminais integrados de passageiros, a fim de inibir a ação de vândalos. Dentro do estádio, atuaram 112 policiais do Batalhão de Choque. O Centro Integrado de Controle e Comando Regional (CICCR) monitorou toda a operação, com câmeras de videomonitoramento e contato direto com os policiais nas ruas e no campo.

>> Cardinot comenta tumulto de Torcida Organizada do Sport em festa do Santa Cruz

>> Torcedores falam em 'revide' contra torcida organizada do Sport em perfil de uniformizada do Santa Cruz

>> Torcida organizada é suspeita de fazer confusão em festa do Santa Cruz

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.