SAúDE

Covid-19: Brasil tem 562 milhões de doses de vacina contratadas em 2021, diz Ministério da Saúde

O número foi divulgado pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em balanço nesta segunda-feira (15)


Covid-19: Brasil tem 562 milhões de doses de vacina contratadas em 2021, diz Ministério da Saúde

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello - Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr

Agência Brasil

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, realizou nesta quinta-feira (15) uma reunião de balanço das ações do Ministério da Saúde no combate à pandemia de covid-19. De acordo com o ministro, o governo federal já viabilizou a compra de vacinas de 10 fornecedores diferentes. Segundo os dados apresentados, o país contará com 562 milhões de doses até o final de 2021. Pazuello frisou, entretanto, que há chances de que nem todos os laboratórios cumpram os prazos estabelecidos. Confira os dados no mapa abaixo:

Números referente a compra de vacinas contra a covid-19 feitas pelo Governo Federal
Números referente a compra de vacinas contra a covid-19 feitas pelo Governo Federal
Reprodução/Ministério da Saúde

Compra de 168 milhões de doses de vacina

O governo federal negocia a compra de 168 milhões de novas doses de vacina contra a covid-19. Neste total estão tratativas para a aquisição das vacinas da Pfizer, da Janssen e da Moderna. No caso da vacina da Pfizer, foi publicada uma dispensa de licitação para a obtenção de 100 milhões de doses. Com a Janssen o mesmo recurso foi adotado, mas para um lote de 38 milhões de doses. O balanço foi apresentado hoje (12) em entrevista coletiva virtual de secretários do Ministério da Saúde em Brasília.

> Ministério da Saúde: Jair Bolsonaro e Eduardo Pazuello acertam demissão em jantar

 O Ministério da Saúde espera adquirir 30 milhões de doses com a Moderna, mas ainda espera proposta da farmacêutica. O Executivo Federal também negocia mais 30 milhões de doses da vacina Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac, e de 110 milhões da vacina Oxford/AstraZeneca, produzida em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz.

Medida Provisória das vacinas contra covid-19

O presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, pediu nesta quarta-feira (10) ao presidente Jair Bolsonaro a sanção dos dispositivos que tratam do trabalho da Anvisa na Medida Provisória (MP) 1.026/21, a MP das Vacinas. O texto foi aprovado no Congresso na semana passada e aguarda sanção presidencial.

> "Muitas pessoas estão vivendo como se não houvesse pandemia", diz secretário de saúde de PE

Após reunião no Palácio do Planalto, Barra Torres explicou que o texto preserva a capacidade analítica da Anvisa e fixa prazo de sete dias úteis (nove corridos) para análise de pedidos de vacinas para uso emergencial. Além disso, esse prazo pode ser estendido em caso de dúvidas ou de necessidade de documentação complementar.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.