PANDEMIA

Covid-19: Ocupação dos leitos de UTI chega a 98% na rede pública de Pernambuco e 91% na privada

Filas de ambulâncias levando pacientes com a covid-19 são cada vez mais comuns, nos hospitais de referência para o tratamento da doença.

Covid-19: Ocupação dos leitos de UTI chega a 98% na rede pública de Pernambuco e 91% na privada

"Quem tem plano de saúde pode tirar o cavalo da chuva, porque pode não ter leito de UTI para você", alerta o infectologista Demetrius Montenegro - Foto: Andrea Rego/ PCR

O Governo de Pernambuco divulgou que a ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na rede pública chegou a 98%, em coletiva de imprensa realizada nessa quinta-feira (25). Com isso, 1.452 leitos de UTI abertos na rede estão ocupados e, pela alta demanda, cresce também a movimentação nos hospitais.

Rede privada

A situação na rede privada de Pernambuco também é dramática. Ao todo, 91% das unidades de terapia intensiva (UTIs) exclusivas estão preenchidas, com pessoas infectadas pelo vírus.

O socorrista da Prefeitura do Recife, Aguinaldo da Silva, todos dias faz a transferência de pacientes com covid-19, pela Região Metropolitana, em busca de vaga nos leitos da rede pública do Estado.

Para ele, a situação está cada vez mais difícil. Com a procura de leitos, o volume de pacientes forma um congestionamento de ambulâncias.

 

>> Pernambuco estende quarentena até 31 de março e iniciará novas medidas contra covid-19

Alerta

O infectologista Demetrius Montenegro faz um alerta sobre essa situação. "Quem tem plano de saúde pode tirar o cavalo da chuva, porque pode não ter leito de UTI para você", ressalta.

Ele também alerta para o crescimento no número de internações de adultos jovens e faz um apelo para que esse grupo não se exponha sem necessidade. "Se você está cansado de ficar em casa, a gente está cansado de ver gente morrendo", fala.

Quarentena

O governador Paulo Câmara anunciou, em pronunciamento nessa quinta-feira (25), que o período de quarentena em Pernambuco foi prorrogado, até o próximo dia 31 de março.

Ao todo, serão 14 dias de medidas restritivas mais intensas para evitar a propagação da covid-19. De acordo com o secretário estadual de Saúde, André Longo, um novo Plano de Convivência entrará em vigor, em todo o Estado, entre os dia 01 e 25 de abril.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.