PANDEMIA DO NOVO CORONAVíRUS

Paulo Gustavo morre aos 42 anos, no Rio, após brava luta contra covid-19

Morte de Paullo Gustavo foi confirmada na noite desta terça-feira

Paulo Gustavo morre aos 42 anos, no Rio, após brava luta contra covid-19

Ator Paulo Gustavo - Foto: Reprodução

O ator Paulo Gustavo morreu, aos 42 anos, na noite desta terça-feira (4). O comediante é mais uma vítima da covid-19 no Brasil. Paulo estava internado desde 13 de março em um hospital particular da capital carioca. Em 21 de março, ele foi intubado e, alguns dias depois, teve o estado de saúde agravada por causa de uma infecção por uma bactéria no pulmão, que já estava fragilizado pelo novo coronavírus.

A morte de Paulo Gustavo foi confirmada às 21h12. Mais cedo, ainda nesta terça, um outro boletim médico já havia revelado que o estado de saúde do ator era grave e irreversível. Paulo deixa esposo, pai, mãe e dois filhos. 

Vida e carreira de Paulo Gustavo

Nascido em 30 de outubro de 1978 em Niterói, no estado do Rio de Janeiro, Paulo Gustavo se formou em artes cênicas em 2005 pela Casa das Artes de Laranjeiras, na capital fluminense. No ano seguinte, fez uma vaquinha entre os familiares e, com R$ 3 mil, montou o monólogo que o fez famoso nacionalmente. No palco do teatro com “Minha Mãe é uma Peça”, Paulo fez os espectadores “morrerem de rir” das histórias de Dona Hermínia, personagem inspirada na mãe do próprio ator, Déa Lúcia. O sucesso com o público e a crítica foi tão grande que, ainda em 2006, Paulo foi indicado ao título de melhor ator, no prêmio Shell.

Em 2013, Paulo leva dona Hermínia para a telona e se consagra como um dos maiores humoristas do país. A similaridade com as angústias e preocupações de Dona Hermínia com muitas mães da vida real criaram uma identificação do público com a personagem. No total, foram três edições do filme que recebeu o mesmo nome da peça de teatro. Com o último, lançado em dezembro de 2019, Paulo Gustavo se tornou recordista de bilheteria na história do cinema nacional. Em poucas semanas, o filme arrecadou mais de R$ 140 milhões, segundo o site especializado Filme B. 

“Quando vou fazer essa personagem, chego no camarim, olho o bob, aquela roupa. Aquilo também mexe comigo, eu trato a roupa, tudo, como algo sagrado, porque essa personagem mudou a minha vida para sempre”, disse Paulo em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo. 

Além de Dona Hermínia, Paulo interpretou outros personagens. No cinema, participou, por exemplo, de “Minha Vida em Marte” e “Os homens são de Marte”, ao lado da amiga Mônica Martelli. Em 2009, participou de “Divã” e “Xuxa em o Mistério de Feiurinha”. Com Ingrid Guimarães e Larissa Manoela, lançou “Fala Sério, Mãe” em 2017. 

Ele também fez uma participação no infantil Sítio do Picau Amarelo, em 2007, interpretando um delegado de política. Na TV, protagonizou o humorístico Vai que Cola, no MultiShow. 

“Acho que o humor pode funcionar como uma forma leve de crítica social. Minha personagem Senhora dos Absurdos, por exemplo, é preconceituosa, homofóbica. Mas essa não é uma questão simples. Aquele que está fazendo a crítica por meio do humor opera em uma linha tênue: até que ponto estou criticando um comportamento e até que ponto estou disseminando esse comportamento?”, disse em entrevista à revista Cláudia em 2016. 

Paulo Gustavo deixa o marido, o médico Thales Bretas, com quem se casou em 2015, e dois filhos.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.