AUXíLIO

Governo de Pernambuco paga dois salários mínimos por três meses a feridos em protesto no Recife

Duas pessoas foram atingidas no olho por bala de borracha disparada por policiais militares durante o ato


Governo de Pernambuco paga dois salários mínimos por três meses a feridos em protesto no Recife

O senhor Daniel Campelo, de 51 anos, foi um dos atingidos - Foto: Hugo Muniz/ Divulgação

O Governo de Pernambuco autorizou o pagamento do benefício eventual ao adesivador Daniel Campelo e ao arrumador Jonas Correia de França, feridos durante protesto contra o presidente Jair Bolsonaro no Recife, no último sábado (29). As duas vítimas não estavam envolvidos no ato. De acordo com o governo estadual, o valor de R$ 2.200,00 foi liberado nesta sexta-feira (04) e será pago por três meses.

A comunicação desta concessão foi realizada durante reunião na Procuradoria Geral do Estado de Pernambuco (PGE-PE), entre os familiares das vítimas, que estavam acompanhados de advogados e defensores públicos, e o procurador-geral de Pernambuco, Ernani Medicis, o procurador Antiógenes Viana e o secretário executivo de Direitos Humanos, Diego Barbosa. O pagamento será feito pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude.

Perda da visão

O arrumador de contêineres, Jonas Correia de França, de 29 anos, perdeu a visão após ser atingido por uma bala de borracha durante protesto contra o presidente Jair Bolsonaro no último sábado (04), quando apenas passava pelo Centro do Recife. De acordo com a Fundação Altino Ventura, o paciente recebeu alta médica do Hospital da Restauração (pelo menos da área oftalmológica) porque foi constatada uma melhora do edema na região em volta do olho direito. No entanto, a visão não pode ser recuperada.

Pádua deixa SDS

Seis dias após o protesto contra o presidente Jair Bolsonaro, que terminou com força excessiva de policiais militares e pessoas feridas, o Governo de Pernambuco confirmou que o então o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, colocou o cargo à disposição e o governador Paulo Câmara aceitou. Com isso, a SDS fica sob o comando do atual secretário executivo, Humberto Freire. O delegado da Polícia Federal Antônio de Pádua estava à frente da Secretaria de Defesa Social desde 1º de julho de 2017.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.