TRANSFOBIA

Morre Roberta Silva, mulher trans queimada viva no Recife, após duas semanas lutando no hospital

Roberta teve 40% do corpo queimado em um brutal ataque cometido no centro do Recife, na madrugada de São João

Morre Roberta Silva, mulher trans queimada viva no Recife, após duas semanas lutando no hospital

Roberta estava internada no Hospital da Restauração - Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Atualizada às 13h13

Reportagem em atualização. 

Roberta Silva, a transexual queimada viva no Recife, morreu nesta sexta-feira (9). A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do Hospital da Restauração, onde a vítima do brutal ataque estava internada desde 24 de junho. A morte foi causada por insuficiências renal e respiratória, segundo a assessoria. 

Ao longo de duas semanas de internação, Roberta sofreu muito. Ela teve os dois braços amputados e teve muita dificuldade para respirar. Ela estava intubada, internada na Unidade de Tratamento Intensivo desde o último domingo (4). 

De acordo com os médicos, Roberta teve 40% do corpo queimado. Os ferimentos foram bastante profundos. Ela teve queimaduras de terceiro grau. 

Mulher trans queimada viva no Recife

O ataque aconteceu na madrugada entre os dias 23 e 24 de junho, no Cais de Santa Rita, no centro do Recife. Um adolescente de 17 anos foi apreendido e está cumprindo medida socioeducativa. 

Em conversa com a codeputada estadual Robeyoncé Lima (Juntas/Psol) antes de ser intubada, Roberta disse que a agressão foi cometida por discriminação. A comunidade LGBTQIA+ trata o caso como um episódio de transfobia. 

Quarta trans morta em um mês em Pernambuco

Roberta foi a quarta mulher trans morta em Pernambuco em menos de um mês. Além dela, outros dois casos foram confirmados no Recife e um outro caso em Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.