LUTO

Ex-governador de Pernambuco Joaquim Francisco morre aos 73 anos

Joaquim Francisco também chegou a ser prefeito do Recife

Ex-governador de Pernambuco Joaquim Francisco morre aos 73 anos

Joaquim Francisco - Foto: Foto: Igo Bione / JC Imagem

Atualizada às 19h15

O ex-governador de Pernambuco Joaquim Francisco Cavalcanti faleceu, nesta terça-feira (3), aos 73 anos de idade. Ele estava internado no Hospital Português, na área central do Recife, onde passava por tratamento de câncer de pâncreas.

Joaquim Francisco também foi prefeito do Recife, deputado federal e ministro. O político casou-se com Sílvia Couceiro de Freitas Cavalcanti, com quem teve três filhos.

O velório será nesta quarta-feira (4), no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo de Pernambuco. O corpo será cremado no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, mas a cerimônia será restrita aos familiares.

>> Personalidades lamentam morte de Joaquim Francisco, ex-governador de Pernambuco

>> João Campos decreta luto oficial de sete dias no Recife pela morte de Joaquim Francisco

>> Regime militar, popularidade e filiação ao PSB: Relembre trajetória de Joaquim Francisco

Nota do Hospital Português

"O paciente Joaquim Francisco de Freitas Cavalcanti, 73 anos, faleceu na tarde desta terça-feira (03/08), no Real Hospital Português, de complicações de um câncer de pâncreas. Estava internado na Instituição desde o dia 14 de junho."

História 

Filho de José Francisco de Melo Cavalcanti e de Creusa Arcoverde de Freitas Cavalcanti, Joaquim Francisco de Freitas Cavalcanti nasceu no Recife no dia 14 de abril de 1948. Seu tio, José Francisco de Moura Cavalcanti, também foi governador de Pernambuco (1975-1979).

Iniciou seus estudos universitários em 1966, na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pernambuco (Ufpe). Neste mesmo ano filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação da ditadura militar instalada no país em abril de 1964. Um ano depois, foi nomeado oficial-de-gabinete do governador Nilo Coelho (1967-1971), cargo que ocupou até 1970, quando se formou em advocacia.

Com a extinção do bipartidarismo, ocorrida em novembro de 1979, e a consequente reorganização partidária, Joaquim Francisco transferiu-se para o Partido Democrático Social (PDS), legenda que sucedeu a Arena em seu apoio ao regime militar. Filiado a este partido, em 1981 foi nomeado prefeito do Recife pelo governador Roberto Magalhães.

Em 1985, Joaquim Francisco migrou para o Partido da Frente Liberal (PFL), encerrando nesta legenda seu mandato à frente da prefeitura de Recife. Em sua atuação como prefeito da capital pernambucana, beneficiou as comunidades carentes da cidade, conquistando grande prestígio popular.

Em 1986, Joaquim Francisco se candidatou a uma cadeira de deputado federal constituinte, sendo o nome mais votado da bancada do PFL pernambucano naquela legislatura, com uma votação surpreendente em todo o chamado “bolsão de pobreza”, recebendo um total de 142.359 votos.

Em 1988, elegeu-se prefeito de Recife, por uma ampla coligação que reunia o PFL, o PDS e o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), além de outras agremiações de menor expressão. Foi empossado no cargo em janeiro de 1989. 

No início de 1990, Joaquim Francisco desincompatibilizou-se do cargo de prefeito para concorrer ao governo pernambucano no pleito de outubro de 1990, na legenda do PFL. 

Debate na Rádio Jornal

Joaquim Francisco participou de diversos programas na Rádio Jornal. O último ocorreu no dia 25 de janeiro, sobre controle populacional. Relembre o programa:  

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.