CHACINA

Estudantes brasileiras morrem em chacina na fronteira com o Paraguai; carro onde jovens estavam foi alvejado com pelo menos 100 tiros

As estudantes brasileiras cursavam medicina na cidade paraguaia

Estudantes brasileiras morrem em chacina na fronteira com o Paraguai; carro onde jovens estavam foi alvejado com pelo menos 100 tiros

Outras duas pessoas morreram na ação - Foto: Reprodução/SBT

Duas estudantes brasileiras foram assassinadas na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Mato Grosso do Sul. As vítimas identificadas como Kaline Reinoso, de 20 anos, e Rhannye Jamilly Borges Oliveira, de 18, foram atingidas por dezenas de tiros dentro de um carro. Elas cursavam medicina na cidade paraguaia. Kaline era natural de Dourados (MS) e Rhannye de Curvelândia (MT).

Segundo o jornal paraguaio Hoy, mais duas pessoas morreram na ação: Osmar Vicente Alvarez, conhecido como Bebeto, e Hailé Acevedo, filha de Ronald Acevedo, governador de Amambay, departamento (semelhante a um estado) do Paraguai. Ainda de acordo com a imprensa paraguaia, a polícia local acredita que o alvo da ação era Bebeto. Mas ainda não há pistas sobre os autores do crime.

>>Jovem morre após ter suposta relação sexual com namorado no Mato Grosso do Sul

Outras duas pessoas sobreviveram ao ataque, Bruno Elias Sanchez e Rafaeli Alvarez, ambos de 20 anos. Eles foram encaminhados a hospitais particulares. Segundo a imprensa local, foram disparados pelo menos 100 tiros contra o veículo, um utilitário esportivo branco.

Chacina

A chacina ocorre dias antes das eleições para vereadores e prefeitos no país. Os paraguaios vão às urnas neste domingo (10). Em outros pontos do país, políticos sofreram atentados no mesmo padrão. Os candidatos Eva Cristaldo e Nolberto Cabrera tiveram seus veículos alvejados, mas sobreviveram.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.