RECUPERAÇÃO

Adolescente de 16 anos que teve braço amputado após acidente com ônibus em Olinda recebe alta da UTI

A equipe médica do Hospital da Restauração, no Recife, vai aguardar a evolução do jovem nas próximas 72 horas, a contar da alta da UTI

Adolescente de 16 anos que teve braço amputado após acidente com ônibus em Olinda recebe alta da UTI

Ele segue em observação na enfermaria do hospital - Foto: Reprodução/TV Jornal

O adolescente, de 16 anos, que teve o braço direito amputado após o ônibus onde ele estava chocar-se contra um poste, no dia 24 de setembro, em Olinda, no Grande Recife, recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva. De acordo com informações do Hospital da Restauração (HR), o jovem foi transferido para enfermaria nesta terça-feira (12). Ele segue em observação na enfermaria do hospital, sem previsão de alta. A equipe médica vai aguardar a sua evolução nas próximas 72 horas, a contar da alta da UTI. Segundo o pai do adolescente, Everton Ferreira, ele vai seguir fazendo hemodiálise devido a um comprometimento dos rins. "Ele já estava fazendo esse tratamento na UTI. Ele vai continuar porque os rins estão trabalhando pouco por conta dos medicamentos", explicou.

O acidente

O adolescente, de 16 anos, precisou ter o braço amputado, após o ônibus onde ele estava chocar-se contra um poste, no dia 24 de setembro, em Olinda, no Grande Recife. O acidente aconteceu na Avenida Olinda, no bairro do Varadouro. De acordo com informações apuradas pela reportagem da TV Jornal, o jovem estava com o braço do lado de fora da janela do veículo no momento da batida.  O motorista parou alguns metros depois para socorrer a vítima. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e levou o jovem até o HR. Tanto a Conorte como o Grande Recife lamentaram o ocorrido e informaram que estão acompanhando o caso. O rapaz chegou a passar por cirurgia para reimplante do braço, mas o corpo do jovem não reagiu bem ao procedimento médico e o membro precisou ser retirado. "Não deu certo e os médicos tiveram que fazer uma nova cirurgia", afirmou Everton Ferreira, pai do adolescente.

Recuperação

Ele deu entrada no HR com "amputação traumática de braço", em estado grave. Chegou a passar por uma cirurgia de reimplante do braço, um procedimento de seis horas que envolveu a religação dos ossos, músculos e vasos sanguíneos. Mas o resultado da intervenção não foi satisfatório, pois o organismo não reagiu bem ao reimplante, e o braço precisou ser retirado ainda no sábado (25), dia seguinte ao acidente. Com isso, o adolescente acabou perdendo o membro. Ele intubado após a segunda cirurgia e só teve a ventilação mecânica retirada no dia 4 de outubro.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.