Notícia Investigação

Aldeia: nova perícia é feita em busca de mais restos mortais de médico


Publicado em 10.07.2018 , às 08:09

Por TV Jornal

Reprodução/TV Jornal

Mais uma perícia foi realizada na casa do médico Denirson Paes, encontrado morto dentro de uma cacimba no local, em Aldeia, Camaragibe, no Grande Recife. A nova perícia foi realizada de forma discreta, no condomínio Torquato Castro, onde o cardiologista morava, na tarde dessa segunda-feira (9).

Do lado de fora, só era possível perceber a movimentação de moradores e funcionários. Lá dentro, uma equipe composta por agentes da Delegacia de Camaragibe, peritos do Intituto de Criminalística (IC) e bombeiros, voltou à casa da família do médico para tentar encontrar mais provas que ajudem a esclarecer o desaparecimento dele, visto pela última vez no final do mês de maio.

Os investigadores chegaram ao condomínio no início da tarde. De acordo com fontes envolvidas na operação, uma equipe de salvamento dos bombeiros, composta por cinco socorristas, foi chamada para auxiliar, caso os peritos necessitassem fazer novas buscas na cacimba de 25 metros de profundidade, onde os policiais encontraram restos mortais na semana passada. 

Investigação

Diante da suspeita de que o médico foi morto e esquartejado, e com a informação de que apenas vestígios de um corpo humano foram encontrados dentro de uma cacimba da casa da família, os policiais tentaram encontrar mais restos mortais que facilitem uma possível confirmação de que Denirson foi de fato vítima de homicídio.

Os investigadores ainda não esclareceram o que teria motivado o assassinato do cardiologista, nem como o crime foi cometido. Os restos mortais encontrados até agora foram encaminhados para exame de DNA, que vai dizer se o material é realmente do cardiologista. Segundo a polícia, a previsão para o resultado é de 15 dias.

Linha do tempo do crime

- 30/05 - Cancelamento da viagem para EUA (que aconteceria dia 02/06). O médico, inclusive, solicita à sua secretária que a agenda no consultório particular fosse mantida.
- 31/05 - Desaparecimento;
- 12/06 - Suspeita manda funcionário confeccionar tampa para a caçima e o mesmo identifica um forte odor e moscas saindo do local. A mulher argumenta que jogou um gato morto dentro do poço.
- 20/06 - Registro do desaparecimento na Delegacia de Camaragibe;
- 03/07 - Representação pelo Mandado de Busca e Apreensão;
- 04/07 - Restos mortais são encontrados na cacimba da casa da família;
- 04/07 - Autuação em flagrante por ocultação de cadáver;
- 05/07 - Decretação da prisão temporária por homicídio qualificado e ocultação;

Ocultação

O corpo, que apresentava sinais de esquartejamento e tinha partes parcialmente queimadas, foi encontrado em uma cacimba de aproximadamente 25 metros. De acordo com o perito Fernando Benevides, a equipe do IC encontrou o cadáver após desconfiar de uma construção recente.



A cacimba estava fechada com uma tampa espessa que tinha sido recentemente construída. Em cima dela, foram colocados dois vasos pesados, o que para a Polícia Civil indica uma clara tentativa de ocultar a saída de gases provenientes da decomposição do corpo.

Quando a tampa foi quebrada, os peritos relataram um odor característico da decomposição de matéria orgânica. Dentro do poço foram encontrados inicialmente metralhas, areia e um produto químico que seria cloro. O material seria uma tentativa de inibir o mal cheiro gerado pelo corpo em decomposição. Após o Corpo de Bombeiros cavar o fundo do poço que não possuía água, foram identificados partes de um cadáver humano. O trabalho continuou nesta quinta-feira, quando outras partes foram retiradas.

Dois funcionários que trabalhavam na casa prestaram depoimento à polícia. Um deles relatou ter sido acionado pela farmacêutica para tampar a cacimba. Sentindo um cheiro forte e a presença de moscas, o encarregado teria questionado a mulher sobre o que havia dentro do poço e ela teria respondido que um gato havia morrido no local. Os trabalhadores também relataram que a mulher pediu que uma determinada área, onde o lumiol detectou a presença de sangue, fosse lavada várias vezes nos últimos dias.

Audiência de custódia e prisão 

A esposa e o filho do médico Denirson Paes da Silva, 54, que foi encontrado morto dentro de um poço em um condomínio em Camaragibe tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça no início da tarde da última quinta-feira (5). Durante a manhã, os suspeitos, que foram autuados por ocultação de cadáver e homicídio qualificado, passaram por audiência de custódia no Fórum de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife.

Os suspeitos, a farmacêutica Jussara Rodrigues Silva Paes e o engenheiro civil Danilo Rodrigues Paes, inicialmente haviam sido liberados, durante audiência de custódia, para responder em liberdade e tinham sido isentos da aplicação da fiança no valor de R$ 954 mil, para cada um.

Ao final da sessão, a Polícia Civil chegou ao Fórum com um mandado de prisão temporária expedido pela Justiça. Mãe e filho serão levados para a delegacia de Camaragibe. Em seguida, foram submetidos a exames no Instituto de Medicina Legal (IML). Jussara Rodrigues da Silva Paes seguiu para a Colônia Penal Feminina Bom Pastor, no Recife, e Danilo Paes para o Centro de Triagem de Abreu e Lima (Cotel).


Veja Também