Notícia Prisão

Segundo integrante de facção ligada ao PCC é preso em Caruaru


Publicado em 24.12.2018 , às 09:20 / Atualizado em 24.12.2018 , às 13:20

Por TV Jornal

Foto: Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal de Pernambuco divulgou nesta segunda-feira (24) os detalhes da prisão do segundo integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC), em Caruaru, no Agreste do Estado. A facção criminosa seria da Paraíba e teria ligação com Pernambuco. Identificado como Edson Gomes da Silva, de 35 anos, o homem é responsável por facilitar a circulação de drogas entre o estado paraibano e o Rio Grande do Norte, tendo ainda uma ficha policial extensa, ligada a outras práticas criminosas.

A última prisão de um integrante do PCC aconteceu nessa quinta-feira (20). Na ocasião, foi identificado Renato Carvalho de Azevedo, conhecido também como “Fuzil”, de 28 anos. Ele é suspeito de executar mais de 200 pessoas. A descoberta da localização do homem aconteceu depois que a polícia foi informada que o mesmo estava escondido em um edifício de classe média alta na Rua Fernão Dias Paes, no bairro de Maurício de Nassau.

O suspeito foi encontrado com a esposa e dois filhos, no 11º andar do edifício. No apartamento, os policiais encontraram 80 munições, 70 gramas de maconha, seis aparelhos celulares, quatro facas e uma pistola calibre 380 escondida em um guarda-roupa, com dois carregadores sem documentação. Na garagem, foram encontrados três veículos com os chassis adulterados, além de uma moto.

Durante esta primeira operação, a polícia informou que dentro de um dos veículos encontrados foram identificados alguns documentos no nome de Handerson Mendonça de Aquino. Descobriu-se também que o mesmo morava em um apartamento de luxo, bem no estilo de Renato.



Apreensão

Ao iniciar a investigação em cima do nome de Handerson Mendonça de Aquino, foi visto que o documento era falso, mas ligava a um apartamento. Na residência, a polícia encontrou um revólver calibre 38 em situação irregular com vários munições, um veículo de luxo com placas de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife.

Com o seguimento das investigações foi descoberto que o suspeito estava internado em um hospital em Caruaru. O nome verdadeiro do homem era Edson Gomes da Silva. Após identificado, ele foi interrogado e preso em flagrante pelos crimes de organização criminosa, posse ilegal de arma, lavagem de dinheiro e ocultação de bens. Os crimes podem resultar em uma pena de 3 a 20 anos de prisão.

A polícia também lembra que Edson era foragido e tinha mandados de prisão decretados. Esse serão cumpridos pela Polícia Federal. O hospital onde o suspeito continua internado não foi identificado por questões de segurança, mas a Polícia Federal informa que ele passa bem.