Notícia Pombos

Defesa de suspeito de estuprar sogra de 102 anos a culpa pelo crime


Publicado em 15.03.2019 , às 09:50

Por TV Jornal

Foto: Luís Carlos Oliveira / TV Jornal

Aos poucos, a idosa de 102 anos estuprada pelo próprio genro, em Pombos, na Zona da Mata de Pernambuco, reconstrói a vida.  Ela começa a criar coragem para sair do quarto e caminhar pela própria casa, com a ajuda de parentes. O medo do genro era tão grande, que sentar no sofá parecia ser assustador. Hoje, já consegue sorrir e brincar com a boneca a quem chama de filha. 

Os abusos foram descobertos graças a uma câmera escondida comprada pela família, na internet, no valor de aproximadamente R$ 350. A estudante Talita Bernardo, uma das netas da idosa, contou que as desconfianças da família começaram no final do ano passado. Apesar de não estar lúcida, a idosa mudou o comportamento. No dia 7 de março, as netas flagraram o estupro do padrasto, pelas imagens transmitidas pelas câmeras.

Repercussão

Na cidade de Pombos, a 58 km do recife, muitas pessoas se mostraram surpresas com o crime. O pedreiro José Bezerra da Silva, de 44 anos, era um homem acima de qualquer suspeita. Muitos moradores se sensibilizaram com a dor da família.



Outros colocaram a culpa na vítima. A idosa, de 102 anos, que não está lúcida. A filha dela conta que a defesa do ex-marido está culpando a vítima dos abusos. "A defesa dele fica difamando a minha mãe, falando que ele tinha um caso com a minha mãe há muito tempo", disse.

A idosa, que trabalhou como agricultora a vida toda, completou 102 anos na quarta-feira (13). Ela não sabia sequer que era seu aniversário. Apesar da dor e do trauma, a família tenta se reerguer. "A dor é para sempre, não tem como a gente esquecer. A minha mãe tem 102 anos, ela não tem noção do que ela faz. Ela brinca de boneca. Ela não sabe nem tomar um banho só, nem se alimenta só", relatou a filha da vítima.