Reviravolta

Polícia Federal fala sobre o caso Carlinhos: “É um caso inédito”


O menino Carlinhos foi levado pelo pai para a Argentina

TV Jornal
TV Jornal
Publicado em 19/09/2016 às 8:50
Leitura:
-Jornal do Comércio/ TV Jornal


Após a justiça da Argentina devolver o menino Carlos Attías Boudoux, de 9 anos, ao pai, a Polícia Federal comentou, na manhã desta segunda-feira (19), os detalhes sobre a reviravolta do caso Carlinhos. No último sábado (17), o empresário Carlos Alberto Attias foi solto da prisão e ficou com a guarda do filho, mesmo existindo um mandado de prisão no Brasil e a Interpol ter entrado no caso.

Segundo o chefe de comunicação da PF, Giovani Santoro, as circustâncias do caso são inéditas, porque a criança tem dupla nacionalidade. “A criança nasceu na argentina e esse fato tende a ser favorável ao pai, que é natural de lá (Argentina)", contou. “Daqui para frente, não compete mais a Polícia Federal atuar nesse assunto, porque o que tinha que ser feito já foi feito. Agora, devem ser realizadas negociações entre o governo brasileiro e argentino, para que essa criança possa voltar ao Brasil e dar um alento à mãe, que já não vê o filho há nove meses”, concluiu Giovani Santoro.

A Prisão

O empresário Carlos Attias foi preso na cidade de Buenos Aires, na noite da última quarta-feira (14). O nome do argentino estava na lista de procurados da Interpol desde o mês de Agosto, quando a prisão preventiva foi decretada pela Justiça de Pernambuco. O homem teria levado o filho Carlos Attías, sem autorização da mãe, para fora do país. O menino viajou com o pai depois de passar um fim de semana com ele no Recife, em dezembro de 2015.