DESEMPREGO

Vencer crise econômica é um dos desafios do novo presidente eleito

TV Jornal

-Agência Brasil

Combater o desemprego é um dos desafios do novo presidente, eleito nesse domingo (28), Jair Bolsonaro. O país tem mais de 12 milhões de pessoas sem um emprego formal. A crise econômica tirou muitos brasileiros do mercado formal, que é o dos profissionais que trabalham com carteira assinada. Segundo os economistas, isso não é bom nem para o país, nem para o trabalhador, que precisa ir em busca de outras fontes de renda informais. 

Para discutir sobre avanços, retrocessos e expectativas na área do trabalho, um evento será realizado nesta terça-feira (30), no Hotel Grand Mercure, no bairro de Boa Viagem, Zona Sul do Recife. O evento trará não apenas debate sobre o desemprego, como também abordará Reforma Trabalhista, trabalho escravo e tráfico de pessoas. Participam do encontro os dois ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Luís Felipe Vieira Melo Filho e Breno Medeiros, além de juízes e desembargadores de vários locais do país. 

Como fazer as inscrições? 

O evento será aberto ao público. As inscrições do evento através do link já foram encerradas, mas quem ainda desejar participar poderá fazer a inscrição no local da palestra, no Hotel Grand Mercure, número 4070, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife. Essas inscrições presenciais vão até a hora do evento.

Desemprego

Atualmente, o Brasil tem 37.300 de trabalhadores na informalidade, e mais de 12 milhões sofrem com o desemprego. Em Pernambuco, a taxa chega a 710 mil pessoas desempregadas. A situação é tão preocupante que, segundo economistas, entre os maiores desafios do novo governo estão gerar mais empregos, enxugar gastos e incrementar novos investimentos.

Veja o que diz o economista Sérgio Buarque:

Dados do IBGE - Primeiro Semestre

Segundo dados do IBGE, através da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios Contínua Trimestral (PNAD-T), o índice saiu de 16,8% no último trimestre de 2017 para 17,7% no primeiro trimestre de 2018. O valor é bem superior à taxa nacional (13,1%) e o quarto maior percentual entre todos os estados do País, ficando atrás apenas do Amapá (21,5%), Bahia (17,9%) e Alagoas (17,7%).

Quando comparada com o mesmo período de 2017, a taxa de desemprego mostra alta, com elevação de 56 mil pessoas no número de desempregados, saindo de 17,1% para 17,7%. Este movimento é uma sinalização importante e preocupa, pois indica que o mercado de trabalho ainda mostra deterioração e dificuldades de recuperação.

Mais difícil para mulheres

Conforme apontado pela pesquisa, as mulheres continuam apresentando uma maior dificuldade de se inserir no mercado de trabalho. A taxa de desemprego das mulheres ficou em 18,1% no trimestre encerrado em março de 2018, porém entre os dois últimos trimestres o desemprego do público feminino mostrou estabilidade. Já a população masculina apresentou alta, saindo de 15,9% para 17,7%.

Projeção para o final do ano

Vale destacar que a taxa de desemprego nos primeiros três meses do ano costuma ser superior ao demais períodos, pois nesta época os contratos dos empregos temporários gerados devido a alta demanda do final de ano são encerrados. Diversos shoppings e lojas do mercado popular da capital anunciaram, recentemente, vagas de emprego temporário no Recife, para atender a alta demanda dos últimos três meses do ano, englobando as vendas para o Natal e Ano Novo.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.