TROFÉU

Graça Araújo é lembrada com homenagem na 16ª Corrida das Pontes


TV Jornal
TV Jornal
Publicado em 01/04/2019 às 11:40
Leitura:

-TV Jornal / Reprodução

No domingo (31), aconteceu a 16ª edição da Corrida das Pontes, no Forte do Brum, no Recife Antigo. O evento celebrou o aniversário de 482 anos da cidade do Recife e homenageou a jornalista Graça Araújo, que faleceu em setembro do ano passado, com um troféu. Graça era adepta a corridas e participava também de maratonas.

Atletas do mundo inteiro participaram da competição. Os primeiros colocados dos 10km, tanto masculino como feminino, eram corredores quenianos.

Graça Araújo durante corrida na praia -TV Jornal / Reprodução

Relembre a história de Graça Araújo

A história de Maria Gracilane Araújo da Silva começou no município de Itambé, na Zona da Mata de Pernambuco. Aos 62 anos, Graça Araújo é conhecida pelo profissionalismo singular. A jornalista, que é apresentadora do TV Jornal Meio Dia e do programa Rádio Livre, da Rádio Jornal, conquistou prestígio por sua postura coerente, além do compromisso com a verdade. O tom preciso em suas declarações tornou-a querida e admirada por se posicionar em defesa dos interesses do cidadão pernambucano.

Graça não chegou a conhecer o pai, que faleceu quando ela ainda era pequena. Com oito irmãos, ainda jovem teve que se mudar para São Paulo com a família para tentar uma vida melhor. Ainda adolescente, aos 14 anos, ela começou a trabalhar em uma fábrica, passou pelo comércio, por uma seguradora e chegou a um banco.

Representante dos direitos dos cidadãos, a apresentadora que, diariamente, dividia informações em defesa da opinião da população, tanto na TV quanto na Rádio Jornal, não sonhava em ser jornalista inicialmente, mas sim médica. Graça decidiu pelo jornalismo quando foi contratada para ser secretária de um diretor de redação de uma revista técnica em São Paulo. Teve contato com outros jornalistas e percebeu que "Se bem feito, esse ofício, eu poderia curar mais feridas, fazer mais curativos, fazer outras cirurgias, que talvez fossem mais relevantes do que essas que tanta gente sabe fazer", afirmou em entrevista.

No Sudeste, estudou jornalismo em 1987, pela Faculdade Integrada Alcântara Machado, e chegou a pensar em fazer carreira como correspondente, mas optou por voltar às origens. Após a formatura, veio para o Recife, onde iniciou a carreira na Rádio Transamérica.

Em perfil escrito pelo jornalista Diogo Cavalcante, em fevereiro deste ano, Graça afirmou que sempre foi apaixonada pelo rádio, mas que demorou a chegar ao veículo, porque precisava trabalhar para se sustentar e alcançar uma posição consolidada na profissão.

Trabalhou depois na Rádio Clube e, em seguida, iniciou a trajetória na televisão, passando pela TV Manchete, TV Pernambuco e finalmente a TV Jornal, onde estreou o TV Jornal Meio-Dia, em setembro de 1992. Em 2001, foi convidada para integrar a Rádio Jornal e apresentar o programa Rádio Livre e o Consultório de Graça, que surgiu da vontade que ela tinha, quando criança, de ser médica.

Em 2010, recebeu o título de cidadã recifense da Câmara Municipal da cidade. No último dia 13 de agosto, recebeu das mãos do presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), Adalberto de Oliveira Melo, a Medalha do Mérito Judiciário Desembargador Joaquim Nunes Machado, condecoração dada a personalidades e magistrados que se destacam no trabalho pelo relevante serviço prestado para o campo jurídico.

Graça Araújo, como ficou conhecida por milhões de telespectadores e ouvintes, tinha todo direito de se orgulhar de sua trajetória: ficou órfã de pai aos três anos de idade, na companhia da mãe e dos seis irmãos. Precisaram migrar para sobreviver em São Paulo, começou a trabalhar aos 14: “Tenho lembrança de uma infância bem sofrida. Você ser pobre e ainda órfã é complicado. Minha família fez o que a maioria fazia: migrava para São Paulo em busca de trabalho. Isso me salvou, acredito, da estatística da mortalidade infantil”, contou ela numa entrevista concedida em fevereiro deste ano ao Portal NaTelinha.

'Consultório de Graça'

Na quinta-feira (06/09/18), Graça não alterou um milímetro da sua rotina. Disciplina poderia ser seu nome do meio. Chegava à redação logo cedo para cuidar do TV Jornal Meio-Dia, noticiário no qual exercia as funções de editora-chefe e âncora; almoçava e se dedicava ao programa Rádio Livre, apresentado por ela e cujo quadro, Consultório de Graça, era um tremendo sucesso de audiência e interação com os ouvintes. Ao fim do expediente, Graça seguia para sua rotina de exercícios físicos. Ex-fumante, costumava dizer que, de tanto fazer programas sobre bem-estar e saúde, modificou seus próprios hábitos: largou o cigarro, passou a se alimentar com qualidade, se submetia a check-ups, deixou de ser sedentária, e até virou maratonista.

Depois de cumprir o treino que fazia regularmente em uma academia de Boa Viagem, a apresentadora perdeu a consciência e foi levada pelo Samu para o Hospital Esperança, na Ilha do Leite, área central do Recife, onde deu entrada por volta das 19h. O diagnóstico, Acidente Vascular Cerebral (AVC) hemorrágico, extenso e gravíssimo, a deixou sob cuidados intensivos (UTI), numa luta pela vida, que se encerrou no dia 8 de setembro, aos 62 anos, quando o óbito foi declarado pelos médicos.

Querida por todos

Nos dias que antecederam a morte da jornalista, o que se viu, espalhado pelas redes sociais, foi a enormidade da admiração e bem-querer que Graça Araújo deixou por onde passou: ex-colegas de profissão, estagiários que com ela aprenderam um rigoroso código de conduta e o amor pelo fato bem-apurado, amigos e fãs fizeram uma torcida organizada que repetia em uníssono: “Levanta, guerreira!”. Porque, de todas as qualidades reunidas por Graça, essa talvez fosse a que ela trazia estampada na pele.

A voz era sua marca registrada: grave, mas suave; firme, mas melodiosa, deixando entrever entre as camadas sonoras um bom humor sempre pronto a aflorar. Impossível não reconhecer a voz de Graça Araújo. Durante mais de duas décadas ela soou nos nossos ouvidos: com notícias, com análises, com críticas, com apoio, com elogios, com força.

Velório aberto ao público

O velório de Graça Araújo aconteceu desde a noite do sábado (08/09/18), no cemitério Morada da Paz, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife, até o dia seguinte (09/09/18), com uma cerimônia até as 15h. O corpo da jornalista e apresentadora foi cremado às 16h do domingo (09/09/18).