VENDAS

Chuvas causam impacto negativo no comércio do Recife

Segundo lojistas do centro da cidade, comércio de roupas e produtos juninos foi bastante prejudicado

Chuvas causam impacto negativo no comércio do Recife

De acordo com Cid Lôbo Mendonça, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife (CDL-Recife), o comércio sentiu bastante o impacto negativo - Foto: Reprodução/TV Jornal

As lojas do Centro do Recife estão correndo contra o tempo pra vender os produtos juninos. O cenário de fortes chuvas da última semana, na capital pernambucana, atrapalhou as vendas e freou o crescimento previsto pra o mês do São João. Instituições e órgãos cancelaram as atividades, árvores caíram e ruas e avenidas alagaram, na Região Metropolitana. 

Segundo Janaína Fernandes, gerente de um estabelecimento do centro da cidade, a queda diária no setor foi de 80%. "Para recuperar agora, vamos oferecer desconto para pagamentos a vista aos clientes, vender dois produtos pelo preço de um e assim vai. Tentar agradar o cliente da melhor forma", disse. 

Confira a reportagem

CDL - Recife

De acordo com Cid Lôbo Mendonça, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife (CDL-Recife), o comércio sentiu bastante o impacto negativo. "Na quinta-feira, quando teve aquela chuva enorme, nós vendemos apenas 20% do que se venderia em um dia normal. No último domingo choveu bastante e na segunda-feira também. Nesses dias vendemos apenas 50% do que venderíamos em um dia sem transtornos", esclareceu. 

Crescimento nas vendas

Para o ano de 2019 era esperado um crescimento de 2% a 3% nas vendas em relação ao ano de 2018. Após o cenário de chuvas, Cid Lôbo diz que se manter a média do ano passado, já está de bom tamanho. "Caso iguale ao de 2018, em função dos transtornos e das chuvas, vai ser um bom resultado". 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.