Feminicídio

Suspeito de matar ex-mulher em acidente de carro retorna à prisão


Por decisão unânime, o ex-marido suspeito de jogar o carro contra uma árvore para matar a mulher teve o habeas corpus revogado em julgamento

Gustavo Henrique Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Publicado em 07/08/2019 às 11:00
Foto: Acervo Pessoal
FOTO: Foto: Acervo Pessoal
Leitura:

O suspeito de jogar o carro contra uma árvore e provocar um acidente de forma e matar a ex-mulher , Guilherme José de Lira Santos, teve o habeas corpus revogado durante julgamento nessa terça-feira (6) pela 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE).

Os três desembargadores que participaram da sessão votaram a favor da revogação do recurso e Guilherme foi novamente preso. Ele havia sido preso no dia 17 de novembro do ano passado e solto no dia 17 de maio deste ano, após ter a prisão revogada.

Confira

Alívio para a mãe da vítima

No voto, o relator do processo alegou que Guilherme apresenta riscos para a sociedade, família de Patrícia e testemunhas do processo. "Sofremos muito, desde quando ela faleceu, porque nós vimos como foi a intenção. Sempre eu tenho dito que Deus tomasse a frente e fizesse a vontade dele", afirmou a mãe, Dona Teresa Wanderley.

>>>Marido é suspeito de provocar acidente de trânsito para matar esposa

Relembre o caso

O acidente aconteceu no dia 4 de novembro de 2018. Guilherme José de Lira e a mulher, Patrícia Cristina Araújo Wanderley Lira, de 46 anos, engenheira de tecnologia da informação, se envolveram em um acidente de carro, na Rua Fernandes Vieria, na Boa Vista, no centro do Recife. O veículo onde eles estavam bateu em uma árvore. Patrícia, segundo a polícia, estava sem cinto de segurança e morreu na hora. Guilherme sofreu apenas ferimentos leves.

Na época, o representante de medicamentos disse que perdeu o controle do veículo ao passar no meio fio. No entanto, durante as investigações e após depoimentos de familiares da vítima, a polícia chegou à conclusão de que o acidente foi planejado e provocado por Guilherme com a intenção de matar a mulher. O suspeito foi preso e encaminhado ao Cotel. De acordo com o inquérito, a Polícia Civil mudou a qualificação criminal para homicídio doloso, duplamente qualificado, por motivo torpe e feminicídio.

Luta contra o feminicídio

Para a irmã da vítima, Danielle Wanderley, a volta do suspeito para a prisão é o primeiro passo de uma luta por justiça e combate contra o feminicídio. "A gente fica mais tranquilo porque, pelo menos, ele preso, não corremos mais ameaças".

>>>Brasil é o 5° país onde mais se mata mulheres em todo o mundo

#UmaPorUma

A violência contra a mulher é constante e frequentemente acaba em tragédia. Existe uma história para contar por trás de cada feminicídio, em Pernambuco. O especial Uma por uma contou todas. Em 2018, o projeto mapeou onde as mataram, as motivações do crime, acompanharam a investigação e cobraram a punição dos culpados. Um banco de dados virtual, com os perfis de vítimas e agressores, além dos trágicos relatos que extrapolam a fotografia da cena do crime. Confira o especial Uma por Uma AQUI.