NORMALIZAçãO

Após paralisação geral, serviços públicos voltam a funcionar em Goiana

Por causa de um impasse entre a prefeitura da cidade e a Câmara de Vereadores, a população sofreu com serviços parados

Após paralisação geral, serviços públicos voltam a funcionar em Goiana

As escolas municipais da cidade não abriram nessa quinta-feira (3) - Foto: Reprodução/TV Jornal

As escolas municipais amanheceram com portões abertos nesta sexta-feira (4), na cidade de Goiana, localizada no Grande Recife. De acordo com profissionais da educação, as aulas seguem em andamento normal.

Os postos de saúde do município também estão funcionando. Nas ruas, funcionários da Prefeitura estão limpando e recolhendo as bolsas e sacos que estão espalhados e amontoados por diversos pontos da cidade. 

A paralisação dos serviços se deu por um impasse entre a prefeitura de Goiana e a câmara de vereadores da região. A população ficou preocupada, durante a quinta-feira (3), com o acúmulo de lixo nas ruas e as escolas municipais, que não abriram.

Situação anterior

Um impasse entre a Prefeitura e a Câmara de Vereadores de Goiana estava dificultando a rotina dos moradores da cidade. O motivo foi que o prefeito, Eduardo Honório, enviou um projeto de lei solicitando alteração no orçamento do município, mas a Câmara ainda não aprovou o valor total.

Confira a reportagem

População prejudicada

A cidade amanheceu, nessa quinta-feira (3), em situação decadente. As escolas municipais não abriram as portas, serviços de saúde, como postos e transporte de pacientes, foram suspensos e a coleta de lixo não foi realizada. Quem mais sofre com o impasse na política de Goiana são os moradores. 

"Prejudica o município, o transporte, o comércio. Prejudica todo mundo", disse o empresário Fernando Borges. "Espero que resolvam logo esse caso, para a gente não ficar nessa situação. Eles ficam jogando para cima um do outro, mas é preciso resolver", alegou o morador Vlademir Cordeiro.

Crédito suplementar

A prefeitura da cidade enviou aos vereadores um projeto solicitando um crédito suplementar superior a R$33 milhões para custear os serviços suspensos, mas a Câmara aprovou apenas pouco mais de R$5 milhões. 

Segundo o prefeito da cidade, sem a verba solicitada, fica difícil manter os serviços. "Nesse momento, infelizmente, não temos condições de trabalhar. De dar uma merenda, de abastecer os postos de saúde. Eles travaram a gente", afirmou Eduardo Honório.

Transparência 

A câmara de vereadores cobra transparência nos gastos públicos da Prefeitura de Goiana. Segundo a Câmara, a Lei Orçamentária Anual do Município havia sido aprovada e garantiu à prefeitura R$ 240 milhões. Depois, o poder executivo solicitou mais verba à Câmara. Vereadores votaram e liberaram mais R$ 80 milhões. 

Quando o crédito suplementar de R$ 33 milhões foi solicitado, há cerca de 70 dias, pela prefeitura da cidade, a câmara liberou o valor de R$5 milhões, bem abaixo do pedido. 

Nota

A Prefeitura disse que vai acionar a justiça, o Ministério Público de Pernambuco e o Tribunal de Contas.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.