ECONOMIA

Pesquisa: desemprego provoca queda de 20% na renda dos pernambucanos

O estudo mostra que, na capital, a taxa de desocupação é de 17,4%, a maior de todo o país

Pesquisa: desemprego provoca queda de 20% na renda dos pernambucanos

A taxa de desemprego cresceu, em 14 das 27 unidades da Federação, no primeiro trimestre deste ano - Foto: Marcello Casal/Agência Brasil

Pernambuco tem 658 mil pessoas na fila do desemprego, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), contabilizados em novembro deste ano. Uma pesquisa feita pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a pedido do Jornal do Commercio, mostra que o aumento desse número ao longo dos últimos anos provocou queda da renda das famílias pernambucanas.

 

>> Pernambuco é o 3° estado com maior taxa de desemprego do Brasil

>> Driblando a crise: aplicativos de delivery são opção contra desemprego

>> Desemprego é maior entre nordestinos, mulheres e negros, divulga IBGE

>> Taxa de desemprego cresce em 14 estados no primeiro trimestre do ano

O estudo mostra que, na capital, a taxa de desocupação é de 17,4%, a maior de todo o país. O alto índice de desemprego refletiu diretamente no orçamento das famílias. A renda familiar da cidade sofreu uma redução de 20%. Muita gente precisou mudar hábitos para se adaptar à nova realidade. 

Cenário negativo

De acordo com o professor de ciências políticas da UFPE, Dalson Figueiredo, Recife e Pernambuco estagnaram em um alto nível de desemprego e o cenário deve piorar, em 2020. "No fim deste ano, devido às confraternizações, é natural que o cenário melhore. No entanto, ano que vem, de acordo com as estimativas, o desemprego volta a aumentar", afirmou Dalson. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.