ASSASSINATO

Morte de comissário pode ter sido motivada por divergência política

"Eram duas pessoas radicais do ponto de vista político e ideológico", contou o delegado que investiga o caso

Morte de comissário pode ter sido motivada por divergência política

Diógenes Candido Nunes, de 56 anos, foi morto a tiros por volta das 22h do sábado (15) dentro de um prédio no Engenho do Meio - Foto: Reprodução/TV Jornal

De acordo com informações da polícia, o caso do comissário aposentado que foi assassinado pelo vizinho no último sábado (15), no bairro de Engenho do Meio, na Zona Oeste do Recife, pode ter sido motivado por divergências políticas. A vítima tinha 56 anos e foi morta a tiros por volta das 22h.

>>>Suspeito de estupro é espancado até a morte na Zona Oeste do Recife

"Eram duas pessoas radicais. O radicalismo político e ideológico. Político partidário e ideológico de questões sociais, como cor, gênero e de status social", afirmou o delegado Sylvio Romero. 

O crime aconteceu dentro de um prédio residencial da Rua Antônio Curado. Segundo o delegado, moradores do condomínio e familiares estavam reunidos curtindo a passagem de um bloco carnavalesco na rua quando o crime aconteceu.

De repente, um desentendimento entre Diógenes e o suspeito, o ex-síndico do prédio, começou. Segundo o delegado, minutos antes da briga, o autor dos disparos foi em casa e pegou um revólver. Ainda segundo a polícia, no momento da confusão, Diógenes estava desarmado. E provavelmente estaria tentando subir para o apartamento pra pegar uma arma, mas acabou sendo morto na porta do elevador.

 

 

Confira na reportagem

Fuga e registro vencido

O suspeito fugiu do local. A arma usada no crime não foi encontrada pela polícia. O delegado conta que ele tinha o registro da arma, um revólver calibre 38, que foi comprado em 1986. Mas o registro estava vencido desde o dia 27 de outubro de 2012.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.