Agreste

Professor e ativista LGBTQI+ desaparecido é encontrado morto em Pombos


Populares encontraram o corpo do pedagogo

Karina Costa Albuquerque Karina Costa Albuquerque
Karina Costa Albuquerque
Karina Costa Albuquerque
Publicado em 30/06/2019 às 10:00
JC Online
FOTO: JC Online
Leitura:

Um professor e militante da causa LGBTQIA+ foi encontrado morto em um sítio da zona rural de Pombos, no Agreste de Pernambuco. A vítima estava desaparecida desde a última quinta-feira (27). O corpo de Sandro Cipriano, de 36 anos, foi encontrado sem os dois olhos e com diversas perfurações na manhã deste sábado (29), por populares.

Para a polícia, o fato de a vítima ter sido encontrada sem os olhos não significa que houve tortura. Há muitos urubus na área onde o corpo foi encontrado, já que trata-se de um espaço utilizado para desova de animais.

Pessoas próximas ao pedagogo disseram ao Jornal do Commercio que ele foi visto pela última vez por volta das 19h30 da quinta, quando ia a um bar para trocar dinheiro. No dia do desaparecimento, a Polícia Militar esteve na casa da vítima e constatou que o local estava revirado, faltando vários pertences e com várias manchas de sangue no piso. O carro de Sandro também foi levado e ainda não foi encontrado.

Segundo informações iniciais, dois homens foram vistos por vizinhos saindo da residência do professor. Em nota, a Polícia Civil informou que "o corpo não apresentava sinais aparente de violência". O caso será investigado pela Delegacia de Pombos.

>> Professor e ativista LGBTQI+ é encontrado morto em Pombos

Repercussão

O professor, conhecido como "Sandro do Serta", era muito querido na região. Várias pessoas nas redes sociais demonstraram indignação e tristeza com o crime. "QUE TRISTEZA, MEU DEUS! Meus sentimentos a toda família e amigos!", mostra uma publicação.

Isaltino Nascimento, deputado estadual de Pernambuco pelo PSB, se despediu do professor pelo Instagram. "É com grande pesar, que soubemos do falecimento precoce do amigo e parceiro de tantas lutas, Sandro Cipriano. Professor do Serta, era também militante da causa LGBT. Coordenou toda parte da luta LGTB no interior do estado e foi um companheiro imprescindível para a renovação do nosso mandato. Muita força e luz para os familiares e amigos. Segue na luz, amigo", postou.

Desaparecimento

O desaparecimento do pedagogo provocou uma corrente para que ele fosse encontrado. Também no Instagram, o deputado Isaltino Nascimento fez um apelo para quem tivesse informações sobre o professor. No Facebook, a página do Serviço de Tecnologia Alternativa (Serta), onde a vítima atuava, publicou sobre o desaparecimento.

Especial Identidades

O Brasil é o país que mais mata pessoas da comunidade LGBT do mundo. A cada 16h, um homossexual, bissexual ou transsexual morre de forma violenta no país. A LGBTfobia, que ainda não é criminalizada, começa dentro de casa e está normatizada em todas as esferas da sociedade. Apesar da onda de violência a comunidade escolhe espalhar amor, como revolução contra a intolerância. Confira um projeto especial da TV Jornal sobre o tema.

Mais Lidas