ESCALPELAMENTO

Vítima de acidente em kart precisa de nova cirurgia e médicos indicam ser fora do Brasil


Débora Estefane teve o couro cabeludo arrancado, após o cabelo ficar preso no motor do kart, no último domingo (11)

Robert Sarmento
Robert Sarmento
Publicado em 15/08/2019 às 19:57
Cortesia da família
FOTO: Cortesia da família
Leitura:

A jovem Débora Estefane Dantas de Oliveira, de 19 anos, vítima de um escalpelamento, no último domingo (11), teve mais uma vez o couro cabeludo rejeitado e a indicação médica é de que ela passe por uma cirurgia nos Estados Unidos, de acordo com o namorado da vítima, Eduardo Tumajan, em apuração do Jornal do Commercio.

O local, onde aconteceu o acidente já foi interditado pelo Procon, pois de acordo com a Gerente de Fiscalização do Procon disse que a pista não estava regulamentada e nem oferecia segurança. A empresa de kart tem até dez dias para apresentar as documentações necessárias e se defender da interdição.

>>> Jovem tem couro cabeludo arrancado em acidente de kart em Boa Viagem <<<

>>> Escalpelamento: Delegado afirma que dono de kartódromo pode ser indiciado por lesão corporal <<<

>>> Caso escalpelamento: Procon afirma que pista de kart não estava regulamentada <<<

>>> Namorado e sogra da vítima de acidente em kart prestam depoimento <<<

Depoimentos

O dono do kártodromo, inclusive, pode ser indiciado por lesão corporal, seja de natureza culposa ou dolosa, de acordo com o delegado Alfredo Jorge, da Delegacia de Boa Viagem, onde o caso está sendo investigado. Além dele, o namorado e mãe de Débora também já prestaram depoimento. Alguns funcionários foram à delegacia nesta quinta-feira (15) e derão a versão deles do caso. O delegado explicou que muitos dos funcionários são despreparados e que muitas vezes deixavam as pessoas correrem sem o calçado adequado,

O caso

A família afirma que Débora estava na segunda volta da corrida quando teve o couro e a jovem foi levada para o hospital da restauração pelo próprio namorado. Os cabelos dela ficaram presos no motor do carrinho, que, segundo, testemunhas estava sem proteção.

A Secretaria de Saúde do Recife informou que não houve demora para o Samu prestar socorro a Débora Dantas e que o pedido foi feito às 17h05. Às 17h07 a ambulância foi acionada e às 17h27, quando o Samu já estava à caminho, foi informado que o a menina havia sido socorrida em um veículo particular.

Mais Lidas