ENTERRO

Emoção: porteiro que morreu após ter 90% do corpo queimado é enterrado

Wellington José da Silva Trajano, tinha 31 anos, e não resistiu aos ferimentos

Emoção: porteiro que morreu após ter 90% do corpo queimado é enterrado

O caixão com o corpo do porteiro foi carregado pelo pai e outros parentes. Durante o sepultamento, o choro deu lugar ao silêncio - Foto: Reprodução/Tião Siqueira/TV Jornal

O corpo do porteiro Wellington José da Silva Trajano, de 31 anos, foi enterrado nesta quarta-feira (30), no cemitério de Casa Amarela, na Zona Norte do Recife. O homem teve 90% do corpo queimado e chegou a ficar internado no Hospital da Restauração, mas não resistiu aos ferimentos. A suspeita é que as chamas tenham sido provocadas por um curto circuito no ventilador. Durante o sepultamento velório, a mãe da vítima precisou ser amparada por amigos.

Wellington trabalhava há 10 anos como porteiro e não teve filhos. O pai dele estava na mesma casa quando tudo aconteceu contou e não entendeu o motivo do incêndio, pois o ventilador do quarto do filho era novo e toda a fiação da residência tinha sido trocada há cerca de dois meses.

Relembre o caso

O incêndio aconteceu da segunda (28), no bairro da Linha do Tiro, na Zona Norte do Recife. A residência ficou destruída, o porteiro dormia em um dos quartos quando o fogo se alastrou rapidamente, a suspeita é que as chamas tenham sido provocadas por um curto circuito no ventilador.

 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.