INTERDIÇÃO

Fábrica clandestina com cerca de 300 mil canudinhos é fechada pelo Procon

De acordo com o Procon, além de estar sujo, o local era clandestino

Robert Sarmento
Robert Sarmento
Publicado em 01/11/2019 às 18:15
Divulgação/Procon-PE
FOTO: Divulgação/Procon-PE
Leitura:

Uma fábrica clandestina de canudinhos comestíveis foi desativada, nesta sexta-feira (01), pelo Procon-PE e pela Vigilância Sanitária. A produção funcionava na área rural do município de Moreno, na Região Metropolitana do Recife. Cerca de 300 mil salgados foram descartados e levados para o lixão.

Falta de higiene

Quando os ficais chegaram se depararam com um local sem higiene. Além disso, diversos baldes de gordura vegetal vencidas estavam espalhados no chão, as tampas cheias de marcas pretas, que pareciam fezes de animais, as panelas e fogões todos pretos, além da mistura de gordura com sujeiras. Os salgados eram colocados em plásticos e encostados em tijolos.

Nas lojas

Todos os canudinhos eram embalados em sacos e colados, manualmente, com fita durex e cola branca. Eles eram vendidos para diversas lojas e mercados da Região Metropolitana do Recife, com as seguintes marcas. O Procon-PE informou irá fazer uma ação fiscalizatória para retirar das prateleiras dos estabelecimentos.

Divulgação/Procon-PE
A fábrica foi interditada pelo Procon-PE - FOTO:Divulgação/Procon-PE
Divulgação/Procon-PE
Os salgados tiveram que ser jogados no lixo - FOTO:Divulgação/Procon-PE
Divulgação/Procon-PE
A sujeira tomava conta do local - FOTO:Divulgação/Procon-PE
Divulgação/Procon-PE
A Vigilância Sanitária de Moreno fez a denúncia do local - FOTO:Divulgação/Procon-PE
Divulgação/Procon-PE
Possíveis fezes de animais nos baldes - FOTO:Divulgação/Procon-PE

Mais Lidas