CRIME

PM suspeito de matar homem após show em Olinda é liberado

O crime aconteceu no último domingo (1º)

PM suspeito de matar homem após show em Olinda é liberado

Três testemunhas, que presenciaram o crime, também foram ouvidas - Foto: Reprodução/TV Jornal

O policial militar da Cipicães identificado por Felipe Albuquerque, de 21 anos, suspeito de atirar e matar no último domingo (1º), o autônomo Vínicius Silva do Nascimento, 31 anos, após sair de um show em Olinda, se apresentou no fim da tarde dessa segunda-feira (02), na 7º Seccional de Olinda, acompanhado de advogados e prestou depoimento por mais de uma hora. Na ocasião, o policial ainda prestou queixa a polícia, mais foi liberado pois não houve flagrante do assassinato.

Testemunhas

Três testemunhas, que presenciaram o crime, também foram ouvidas.

>>>Autônomo é assassinado por PM após sair de show em Olinda

Relembre o crime

O corpo de Vinícius foi sepultado na última segunda (02), no Cemitério Parque das Flores, no bairro do Sancho. De acordo com testemunhas, a vítima foi baleada no domingo (1º), pelo policial militar depois de se envolver em uma discussão com a ex-mulher que atualmente namora o suspeito. O homem ainda chegou a ser socorrido para o Hospital da Restauração, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Até o momento, a defesa do suspeito não se pronunciou.

 

Nota da defesa na íntegra

Inicialmente, cumpre destacar que Vinicius do Nascimento, ex-tenente do exército e ex-marido da atual companheira de Filipe, era uma pessoa violenta, com um vasto histórico de agressões e assédios verbais contra a sua ex-esposa (a atual companheira de Filipe). Vinicius era extremamente agressivo em relação à sua ex-mulher, inclusive na frente dos filhos menores de ambos, e constantemente desferia contra esta ofensas profundas e de baixíssimo escalão.

Para além da violência psicológica, contida nas graves e constantes ofensas, Vinicius também tinha um histórico de difamar sua ex-companheira na rua, sendo fato público e notório no bairro onde viviam, no Pina, que o ex-tenente era extremamente desrespeitoso e violento em relação a sua ex-mulher, que constantemente sofria agressões verbais, tanto em público, quanto no privado. Tais fatos ensejaram não apenas a separação do casal como, ainda, o registro de um Boletim de Ocorrência contra Vinicius, enquadrado na Lei Maria da Penha pela prática constante e reiterada de atos de violência doméstica.

Também é importante salientar que testemunhas dão conta de que Vinícius possuía uma arma em casa e que costumava sair na rua com esta, ainda que não tivesse mais o porte deste armamento.

Diante de tais fatos de relevante contexto, eis que na madrugada do último sábado para domingo (do dia 30 de novembro para o dia 01 de dezembro), Filipe, sua companheira, sua cunhada e mais uma amiga, estavam se retirando de um evento que ocorreu nas imediações do Parque Memorial Arcoverde, Olinda.

Ao saírem de dentro da área de onde estava acontecendo o show, foram surpreendidos por Vinicius do Nascimento e Anderson, seu primo, ambos de porte físico muito superior ao de Filipe. Nesta hora, o ex-tenente começou a desferir palavras de baixíssimo escalão contra sua ex-mulher, em público e a plenos pulmões, ofendendo mais uma vez sua honra e dignidade. Diante daquela violência e de todo o contexto sofrido por sua atual companheira, Filipe agiu em defesa desta, pedindo para que Vinicius parasse com as agressões e se retirasse do local. Vinicius continuou com as ofensas pesadas, e, em decorrência disto, uma discussão se instaurou. Neste ínterim, Anderson atacou Filipe, sendo seguido por Vinicius. Os dois, de porte muito superior, visivelmente alcoolizados e violentos, potencialmente armados, partiram para cima de Filipe, que foi ao chão após o ataque iniciado por Anderson. Ao conseguir se desvencilhar, quando virou, Vinicius já estava em cima de si, gritando frases de ameaça em sua direção.

Temendo por sua vida, considerando que Vinícius poderia estar armado e, ainda, que poderia desarmar-lhe e cometer uma tragédia ainda maior, Filipe – que possui histórico impecável na Polícia Militar, nunca havendo, sequer, realizado qualquer óbito em serviço, mesmo já havendo participado de diversas operações de altíssimo risco – puxou sua arma em aviso, ao que Vinicius continuou correndo em sua direção, proferindo ameaças. Nestes rápidos segundos, o Policial Militar, diante dos fatos, foi compelido a efetuar um único disparo, em evidente situação de legítima defesa.

Diante do ocorrido, na tarde desta segunda-feira (02 de dezembro), o Policial Militar se apresentará às autoridades policiais competentes para prestar os devidos esclarecimentos pois, na posição de homem da lei, possui toda a intenção de contribuir com as devidas investigações relativas ao incidente.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.