COVID-19

Coronavírus: "nada de pânico", diz Secretário de Saúde de Pernambuco

O secretário André Longo concedeu entrevista coletiva sobre os casos confirmados da doença no Estado, na manhã desta quinta-feira (12).

Coronavírus:

Secretário Estadual de Saúde, André Longo, concedeu entrevista coletiva para dar os detalhes sobre casos de coronavírus - Foto: TV Jornal / Reprodução

Durante a entrevista coletiva realizada na manhã desta quinta-feira (12), pela Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES-PE), que confirmou os dois primeiros casos de coronavírus no Estado, o secretário de Saúde, André Longo, procurou tranquilizar a população. Longo declarou que não há motivo para alarde, afirmando que não há transmissão local do coronavírus, em Pernambuco.

"Nada de pânico. À medida que vamos confirmando os casos, nós estamos ativando o nosso Comitê de Operações de Emergência (COE).", afirmou. Essa é uma estratégia de rotina, de prevenção e coordenação de emergências. Ele pediu também que as pessoas mantenham o foco na prevenção (veja lista de cuidados, mais abaixo).

>> Veja detalhes sobre os casos confirmados de coronavírus em Pernambuco

Casos confirmados

O coronavírus foi confirmado em uma mulher, de 66 anos, e um homem, de 71 anos, ambos residem no Recife e possuem histórico de viagem para a Itália. Os dois casos foram notificados na última quinta-feira (5).

Os sintomas relatados foram febre, tosse e dor de cabeça, e os dois pacientes tiveram resultado negativo para outros vírus e positivo para COVID-19.

Caso provável

De acordo com apuração da repórter Cinthya Leite, do Jornal do Commercio, trata-se da mulher de 47 anos, que trabalha na casa do casal de idosos portadores da doença. Ela possui os sintomas, mas não viajou. 

Brasil

De acordo com o ministério até as 16h45, dessa quarta-feira (11), subiu para 52 o número de casos confirmados de coronavírus no Brasil, conforme os dados repassadas pelos estados à pasta da Saúde. Desse total, sete são por transmissão local, quando é possível relacionar o doente a um caso confirmado e 45 são importados, ou seja, de pessoas que viajaram ao exterior. Atualmente, são monitorados 907 casos suspeitos. Outros 935 foram descartados.

Os casos confirmados no Brasil estavam divididos em oito estados: Alagoas (1), Bahia (2), Minas Gerais (1), Espírito Santo (1), Rio de Janeiro (13), São Paulo (30), Rio Grande do Sul (2) e Distrito Federal (2).

Pandemia

Em entrevista coletiva, nesta quarta-feira (11), a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou pandemia de coronavírus devido a grande quantidade de países atingidos. O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom , afirmou que os métodos para conter os causadores da transmissão da doença Covid-19 não serão modificados.

Cuidados

  • Higienize as mãos

Lave suas mãos frequentemente com água e sabão ou com uma solução de álcool em gel.

Por quê?  Esfregar as mãos ajuda a eliminar traços do vírus que podem estar presentes em lugares de uso comum.

  • Mantenha distância social

Mantenha pelo menos um metro de distância de pessoas que apresentam tosse ou espirros constantes.

Por quê? A tosse e o espirro propagam pequenas gotas de secreção e saliva que podem conter vírus. Com a proximidade, a chance de respirar ou ter contato essas gotículas aumenta.

  • Evite tocar os olhos, o nariz e a boca

Evite coçar, esfregar ou ter qualquer tipo de contato com as mucosas. Essas áreas têm contato direto com a corrente sanguínea e são mais sensíveis à presença de agentes de contaminação

Por quê? As mãos estão em contato constante com superfícies que podem ser vetores de transmissão de vírus e bactérias. Mantê-las longe das mucosas diminui a chance de ficar doente.

  • Pratique higiene respiratória

Tenha boas práticas de higiene respiratória. Isso significa cobrir a boca e o nariz com o braço curvado ou com um lenço de tecido ou papel ao tossir e espirrar. Descarte ou higienize o material usado imediatamente.

Por quê? Gotículas de saliva e secreção são vetores do Covid-19. Evitar que outras pessoas entrem em contato com saliva contaminada evita não apenas o coronavírus, mas uma série de doenças respiratórias.

  • Em caso de febre ou dificuldade respiratória, busque ajuda médica rapidamente

Não saia de casa se estiver com febre. Se os sintomas persistirem e caso haja dificuldade respiratória, busque atenção especializada imediatamente.

Por quê? Apesar de serem sintomas comuns, uma ação rápida pode evitar problemas mais sérios e o desenvolvimento de sintomas mais graves de infecções respiratórias.

  • Uso de máscaras

Pessoas saudáveis, sem sintomas como febre, tosse ou espirros não precisam usar máscaras

Por quê? Apenas profissionais de saúde e pessoas que apresentem sintomas parecidos com os do novo coronavírus precisam usar máscaras. A função das máscaras é conter a propagação do vírus em quem já está infectado. A OMS recomenda o uso racional das máscaras.

  • Fique bem informado e siga os procedimentos do Ministério da Saúde

Por quê? Autoridades nacionais e locais têm a informação mais atualizada sobre a situação de saúde na sua área. Tomar atitudes preventivamente ajuda o sistema de saúde a distribuir e compreender de maneira ágil a disseminação de qualquer doença.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.