COVID-19

Guardar álcool em gel dentro do carro é seguro? Bombeiro explica

Imagem com o 'freio de mão' queimado viralizou nas redes sociais

Guardar álcool em gel dentro do carro é seguro? Bombeiro explica

A foto com o 'freio de mão' queimado viralizou nas redes sociais - Foto: Reprodução/Redes sociais

Uma das orientações dos órgãos de saúde é que a população esteja sempre com objetos higienizados e, por isso, muita gente anda com álcool em gel para todos os lugares. Seja na bolsa, em casa, na mesa de trabalho e até mesmo no carro. Após uma imagem com o 'freio de mão' de um carro queimado viralizar nas redes sociais, o Corpo de Bombeiros orienta que é preciso ter cuidado, pois o álcool é um produto inflamável.

De acordo com o tenente do Corpo de Bombeiros, Werben Monteiro, o álcool pode entrar em combustão. "Tem que ter o calor e o oxigênio presente. Esses elementos em harmonia reunidos podem entrar em combustão. O seu carro está exposto ao sol, em radiação solar com um combustível inflamável, com 70% de álcool no seu veículo, e existe oxigênio todo fechado. Nós temos algo aquecido externamente e internamente. Uma estufa praticamente e aí pode ter essa combustão'', afirmou.

É correto colocar o fracos do álcool próximo ao câmbio?

Ele explicou também que não é recomendável transportar o produto no veículo. "Nós não recomendamos ninguém transportar álcool, pois isso é um combustível. Nem no porta-luvas, nem em qualquer outro local do veículo. Os vidros podem servir como lentes e se ficar expostos ao sol têm a incidência desse calor. Então você terá um ambiente aquecido", completou.

O correto seria como?

Segundo Werben, o correto é andar com um dispenser ou recipiente. "O que recomendamos é que você pegue um dispenser ou recipiente com 80 ou até 100 ml e ande com ele para estar higienizando as mãos.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.