COVID-19

Coronavírus: Após cumprir quarentena, navio deixa Porto de Suape

A embarcação estava em quarentena no Porto de Suape desde o dia 11 de maio, após um tripulante apresentar sintomas do coronavírus

Coronavírus: Após cumprir quarentena, navio deixa Porto de Suape

Embarcação ficou de quarentena no Porto de Suape - Foto: Francisco de Assis / Divulgação / Porto de Suape

 

A embarcação que estava em quarentena no Porto de Suape desde o dia 11 de maio, após um tripulante apresentar sintomas da Covid-19, deixou o porto na madrugada desse domingo (24). O navio de bandeira brasileira foi liberado pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) após constatação de que os demais 25 tripulantes não manifestaram sinais da doença.

O tripulante de 46 anos testou positivo para o coronavírus no dia 15 de maio e permaneceu isolado, dentro de sua cabine no navio, sendo medicado e monitorado. De acordo com a assessoria do Porto de Suape, ele está estável, assintomático e foi liberado pela Anvisa para cumprir o fim da quarentena em sua residência. Este foi o primeiro caso confirmado de coronavírus no Porto de Suape.

>> Após tripulante testar positivo para coronavírus, navio fica em quarentena no Porto de Suape

Ainda segundo o porto, todos os procedimentos de segurança e prevenção indicados pela Anvisa foram adotados pela administração. Sendo assim, não houve embarque ou desembarque de tripulação, nem contato com trabalhadores portuários locais. O navio veio do Terminal de Madre de Deus, na Bahia, para receber óleo combustível para exportação, através de transbordo com outras embarcações, chegando no dia 11. A embarcação permaneceu isolada em área do Cais 1 até o momento da desatracação. Após deixar Suape, o navio seguiu para o Porto de St. Croix, localizado nas Ilhas Virgens.

Outra embarcação de quarentena

Outro navio de bandeira brasileira, desta vez um conteineiro com 21 tripulantes, informou que a equipe médica a bordo realizou o teste rápido num tripulante e o resultado foi positivo. A embarcação chegou ao Porto de Suape no fim da manhã de sábado (23) para descarregar 199 contêineres vindos do Porto de Manus (AM), sua última parada, e embarcar outros 152. Uma equipe da Anvisa concluiu a inspeção sanitária no navio e verificou que os demais tripulantes não estão com sinais da doença. A embarcação ficará em quarentena por 14 dias no Cais 1 do Porto de Suape, local definido para atracação em casos de coronavírus, sem prejudicar a operação portuária. Assim como no primeiro caso, não houve embarque ou desembarque de tripulação, nem contato com os trabalhadores portuários locais.

Conforme a assessoria do Porto, o homem de 42 anos está isolado em sua cabine no navio desde o dia 16 de maio, quando apresentou quadro de tosse, mas sem febre ou outro sintoma relacionado à Covid-19. No mesmo dia, a equipe médica de bordo fez um teste rápido, cujo resultado foi negativo. Naquela ocasião, o caso não se enquadrava como suspeito de acordo com os protocolos da Anvisa. Entretanto, o tripulante foi mantido em isolamento e, mesmo com a remissão do único sintoma apresentado (tosse), o teste foi repetido após sete dias (em 23/5), com resultado positivo. O homem segue em isolamento, estável, assintomático e será monitorado pela Anvisa. O navio só poderá operar após terminar o período da quarenta se nenhuma outra pessoa apresentar suspeita da doença.  

Como estabelece o Plano de Contingência e Emergência em Saúde Pública do Porto de Suape, para resposta a situações relacionadas a casos de doenças infectocontagiosas, uma barreira sanitária ficará instalada no local, para que os técnicos envolvidos na investigação se higienizem e descartem os Equipamentos de Proteção Individual (EPIS) utilizados a bordo. Ambulância do porto, com equipe especializada, se mantém de plantão, caso precise fazer alguma remoção a hospital.

Medidas

Suape possui seis cais e quatro píeres, totalizando 13 berços de atracação e continua funcionando para garantir o abastecimento de produtos e insumos essenciais à população, como alimentos e medicamentos. Toda a movimentação vem sendo monitorada e, antes de atracar, as embarcações precisam de autorização da Anvisa, órgão responsável por conceder a livre prática aos navios, ou seja, a anuência para que o navio possa entrar no porto e operar, checando e atestando as condições sanitárias e de saúde do ambiente e dos tripulantes a bordo, por meio da Declaração Marítima de Saúde preenchida pelo comandante.

Todas as medidas de contenção indicadas pelos órgãos sanitários estão sendo cumpridas em Suape, tais como o reforço da limpeza, campanhas de conscientização, disponibilização de álcool em gel e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), orientação sobre distanciamento e restrição de circulação em cais e píeres, onde lavabos foram instalados para lavagem mais constante das mãos.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.