POSICIONAMENTO

Caso Miguel: Prefeito de Tamandaré diz estar "profundamente abalado" e que prestará esclarecimentos

Por meio de nota, a prefeitura se posicionou sobre o caso do menino Miguel, que morreu após cair de uma altura de 35 metros

Caso Miguel: Prefeito de Tamandaré diz estar

Sérgio Hacker é prefeito de Tamandaré, no Litoral Sul de Pernambuco - Foto: Reprodução/Facebook

Por meio de nota, a Prefeitura de Tamandaré informou, nesta sexta-feira (5), que o prefeito da cidade, Sérgio Hacker Corte Real, se encontra "profundamente abalado" pela morte do garoto Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, na última terça-feira (02). O garoto morreu após cair do 9º andar do prédio em que o prefeito mora com a esposa, Sari Corte Real, que foi autuada por homicídio culposo - quando não há intenção de matar - por deixar a criança sozinha no elevador momentos antes do acidente.

Ainda na nota, a prefeitura ressaltou que Hacker vai prestar informações aos órgãos competentes "no momento próprio e de forma oficial".

>>Câmera de segurança mostra criança que caiu de prédio dentro de elevador momentos antes de morrer

>> Faltou paciência para tirar meu filho do elevador, diz mãe de criança que morreu ao cair de prédio no Recife

Funcionária da prefeitura

A empregada doméstica Mirtes Renata Santana de Souza, que é mãe de Miguel Otávio Santana da Silva, 5 anos, consta como funcionária da Prefeitura Municipal de Tamandaré, segundo informações apuradas pelo Jornal do Commercio. O garoto morreu ao cair do 9º andar de um prédio no Centro do Recife.

A informação sobre a mãe da criança está registrada no cadastro da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), órgão ligado ao Ministério da Economia. 

Nota do Tribunal de Contas

"O Tribunal de Contas do Estado informa que está apurando o caso da sra. Mirtes Renata Santana de Souza junto à prefeitura de Tamandaré. Após a fiscalização, constatada a veracidade dos fatos, o gestor poderá responder por crime de responsabilidade e infração político administrativa. Na existência de pagamentos por serviços não prestados, as pessoas envolvidas deverão ser chamadas a devolver a quantia recebida. Neste caso específico, o prefeito poderá responder solidariamente, ou seja, terá que também ressarcir os cofres públicos.

O TCE está apurando a situação não só da Sra Mirtes Renata Santana de Souza, como de outros servidores, com o intuito de apurar a situação dos que poderiam estar na condição de fantasmas

Complementando a informação, o TCE vai instaurar uma auditoria especial para apurar os fatos"

Nota MPPE na íntegra

A Promotoria de Justiça de Tamandaré instaurou nesta sexta-feira (5) um inquérito civil com a finalidade de apurar possível prática de improbidade administrativa do prefeito Sérgio Hacker. O inquérito foi motivado pela divulgação, através da imprensa, de que Mirtes Renata Santana de Souza, mãe de Miguel Otávio Santana da Silva, figura como funcionária da Prefeitura de Tamandaré.

O MPPE já constatou, através de busca no portal da transparência municipal, que a senhora Mirtes Renata figura na folha de pagamento do município desde fevereiro de 2017.

A Promotoria de Justiça de Tamandaré expediu ofício requisitando à chefia de gabinete da Prefeitura que informe, no prazo de três dias úteis, dados funcionais sobre a servidora, como cargo, função, método de controle de ponto, local de lotação, dentre outros.

Faltou paciência, diz mãe de Miguel

"Infelizmente, faltou um pouco de paciência dela para tirar o meu filho de dentro do elevador. Se ela tivesse um pouquinho mais de paciência, se ela tivesse pego ele pela mão, ao invés de ficar só falando, pegasse ele pela mão e tirasse [ele do elevador], meu filho tava hoje comigo", desabafou a empregada doméstica Mirtes Renata Santana da Silva, mãe do menino Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, sobre a patroa, que foi autuada por homicídio culposo. A criança morreu nessa terça-feira (02) após cair do 9º andar do condomínio de luxo Píer Maurício de Nassau, conhecido como Torres Gêmeas, no bairro de São José, na área central do Recife, onde a mãe trabalhava como empregada doméstica.

Pai de Miguel faz questionamento

A tristeza que tomou conta da mãe do menino Miguel Otávio Santana da Silva não foi menor para o pai. Indignado com a perda do filho. Ele cobrou mais investigações sobre o caso e quer que a dona do apartamento onde a mãe do menino trabalhava explique tudo o que aconteceu.

‘’A gente vai correr atrás (de justiça). Hoje foi meu filho, estou com dor, mas vamos correr atrás e descobrir o que houve. Vamos querer saber tudo. A patroa dela tem que explicar. Tem que explicar por que deixou o menino só? Por que não deixou o (filho) dela só e deixou o meu?’’, questionou. 

Sonho em ser jogador de futebol

As recordações de Miguel Otávio Santana da Silva estão vivas nas mentes de quem conviveu com a criança. Na escola onde o garoto estudava, desde o maternal, todos sabiam que o sonho dele era ser jogador de futebol. No caderno dele, ficaram gravadas as primeiras letras de uma história que foi interrompida.

Relembre o caso

O caso aconteceu na tarde da última terça-feira (2), quando Mirtes Renata deixou o filho sob a responsabilidade da patroa e desceu para passear na rua, com o cachorro da família. Ao voltar para o prédio, ela se deparou com o filho praticamente morto. Miguel ainda foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos provocados pela queda.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.