CASO MIGUEL

Sarí Corte Real pede perdão à mãe de Miguel em carta: ''Não tenho o direito de falar em dor''

Autuada por homicídio culposo, Sarí Corte Real pagou fiança de R$ 20 mil e foi liberada pela polícia

Sarí Corte Real pede perdão à mãe de Miguel em carta: ''Não tenho o direito de falar em dor''

De acordo com a perícia, quando caiu do 9º andar, Miguel estaria procurando pela mãe - Foto: Cortesia

Autuada por homicídio culposo - liberada ao pagar fiança de R$ 20 mil - Sarí Corte Real  se pronunciou pela primeira vez sobre a morte do menino Miguel Otávio Santana da Silva e pediu perdão para  Mirtes Renata, mãe do menino de 5 anos, que morreu após cair do 9º andar do condomínio de luxo Píer Maurício de Nassau, conhecido como Torres Gêmeas, na área central do Recife, na última terça-feira (02). Leia a carta na íntegra. 

Carta a Mirtes

Como mãe, sou absolutamente solidária ao seu sofrimento. Miguel é e sempre será um anjo na sua vida e na sua família. Não há palavras para descrever o sofrimento dessa perda irreparável. Nunca, mas nunca mesmo, pude imaginar que qualquer mal pudesse acontecer a Miguel, muito menos a tragédia que se sucedeu. Te peço perdão. Não tenho o direito de falar em dor, mas esse pesar, ainda que de forma incomparável, me acompanhará também pelo resto da vida. Estou sendo condenada pela opinião pública como historicamente outros foram. As redes sociais potencializam o ódio das pessoas. Tenho certeza que a Justiça esclarecerá a verdade. Na nossa casa sempre sobrou carinho e amor por você, Miguel e Martinha. E assim permanecerá eternamente. Rezo muito para que Deus possa amenizar o seu sofrimento e confortar seu coração.

Sarí Gaspar

''Faltou paciência''

Em entrevista à TV Jornal, a mãe de Miguel conta que não sente raiva e nem ódio de ninguém pelo ocorrido, mas acredita que ''faltou paciência'' para Sarí Corte Real para tirar o menino de dentro do elevador. "Infelizmente, faltou um pouco de paciência dela para tirar o meu filho de dentro do elevador. Se ela tivesse um pouquinho mais de paciência, se ela tivesse pego ele pela mão, ao invés de ficar só falando, pegasse ele pela mão e tirasse [ele do elevador], meu filho tava hoje comigo", desabafou.

Protesto e manifestações nas redes sociais

A repercussão pela morte de Miguel seguemcom várias manifestações nas redes sociais, através das hashtag #JustiçaPorMiguel, que chegou a alcançar o primeiro lugar entre os assuntos mais comentados em todo o Brasil. Nesta sexta-feira (05), manifestantes se reuniram com os familiares da criança e fizeram um protesto em frente ao local da tragédia. Clique aqui e veja as imagens.

Funcionária da Prefeitura de Tamandaré

A empregada doméstica Mirtes Renata Santana de Souza, que é mãe de Miguel, consta como funcionária da Prefeitura Municipal de Tamandaré, segundo informações apuradas pelo Jornal do Commercio. A informação sobre a mãe da criança está registrada no cadastro da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), órgão ligado ao Ministério da Economia. 

Câmeras de segurança

As imagens do circuito de segurança do elevador mostra o momento em que Sarí Corte Real está com a criança e aperta o botão do elevador. As primeiras investigações apontaram, justamente, para o fato de que a mulher teria permitido que o garoto subisse sozinho, algo que é proibido por lei no Recife. 

OAB seleciona advogada para acompanhar inquérito

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) designou a advogada Maria José Amaral para acompanhar o inquérito da morte de Miguel. A dona do apartamento onde a mãe de Miguel trabalhava foi autuada por homicídio culposo (quando não há intenção de matar), mas liberada ao pagar fiança de R$ 20 mil. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.