EDUCAçãO

Donos de berçários, creches e hoteizinhos pedem ajuda ao Governo de Pernambuco: ''não temos recursos''

O Governo de Pernambuco divulgou as datas para retorno das aulas presenciais do ensino superior

Donos de berçários, creches e hoteizinhos pedem ajuda ao Governo de Pernambuco: ''não temos recursos''

Salas de aula precisam se adequar ao protocolo do Governo de Pernambuco - Foto: Reprodução/TV Jornal Interior

Donos de berçários, creches e hoteizinhos realizaram um protesto, nesta segunda-feira (31), para pedir apoio financeiro ao Governo de Pernambuco. De acordo com o grupo, os locais das aulas estão com problemas estruturais e, por não serem de grande porte, não estão conseguindo recursos para manter as escolas e os funcionários.

>>"Volta às aulas presenciais é muito arriscada e perigosa", diz presidente do Cremepe

O grupo foi atendido e revelaram que ficou prometido uma reunião com o Governo de Pernambuco para ouvir os pedidos dos donos de berçários, creches e hoteizinhos, e encontrar uma solução. ‘’Só uma reunião, sem data marcada, dentro de uma semana, e informou que iria reunir o grupo para nos ajudar a ouvir o governo’’, contou a representante do grupo de quase 100 escolas, Marta Salín.

Retorno das aulas

O Governo de Pernambuco anunciou, durante coletiva de imprensa, as datas para retomada das aulas presenciais do ensino superior e da educação básica. ‘’A gente pede que o governo nos ajude a se manter. A minha escola não é grande porte. Eu não tenho auxílio emergencial. A gente só quer ajuda. Berçários, creches e hoteizinhos em bairro humildes. As estruturas se acabando. Nós queremos trabalhar e não temos recursos’’, completou Marta Salín.

Protocolo contra o coronavírus

Distanciamento social

  • Manter, pelo menos, 1,5 m (um metro e meio) de distância entre os estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores, em todos os ambientes do estabelecimento de ensino;
    Estabelecer o número de estudantes por turma, observando rigorosamente as normas de distanciamento, 1,5m (um metro e meio) entre as bancas escolares, reduzindo a quantidade de estudantes se necessário;
  • Promover diferentes intervalos de entrada, saída e alimentação entre as turmas, com o objetivo de evitar aglomerações.

Prevenção/proteção

  • Utilizar a máscara de forma obrigatória e contínua, por todas as dependências do estabelecimento de ensino, devendo ser observadas as orientações específicas quando se tratar de crianças até dois anos de idade;
  • Disponibilizar, para uso dos estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores local para lavagem frequente das mãos, provido de sabão, toalhas de papel além da disponibilização do álcool 70%, em pontos estratégicos de fácil acesso;
  • Higienizar grandes superfícies com os seguintes produtos: hipoclorito de sódio a 0.1%; alvejantes contendo hipoclorito (de sódio, de cálcio) a 0,1%; dicloroisocianurato de sódio (concentração de 1,000 ppm de cloro ativo); iodopovidona (1%); peróxido de hidrogênio 0.5%; ácido peracético 0,5%, quaternários de amônio, por exemplo, o Cloreto de Benzalcônio 0.05%; compostos fenólicos; desinfetantes de uso geral aprovados pela Anvisa, observando as medidas de proteção, em particular o uso de equipamentos de proteção individual (EPI) quando do seu manuseio.

Monitoramento e educação

  • Elaborar cartilha de orientação sobre os cuidados básicos de prevenção do novo coronavírus para disponibilizar pela internet para estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores;
  • Orientar estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores dos estabelecimentos de ensino que apresentarem sintomas gripais, e os seus contatos domiciliares, a acessarem o aplicativo “Atende em Casa” (www.atendeemcasa.pe.gov.br). Durante o acesso, serão orientados sobre como proceder com os cuidados, inclusive sobre a necessidade de procurar um serviço de saúde.

De acordo com o Governo de Pernambuco, até o final de semana, será publicada uma nova versão do protocolo setorial*

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.