EDUCAçãO

Apesar de síndrome, infectologista não vê problema em retorno das aulas para ensino básico: ‘’são casos raros’’

Cristiana Meirelles, no entanto, alertou para seguir os protocolos de segurança contra o novo coronavírus

Apesar de síndrome, infectologista não vê problema em retorno das aulas para ensino básico: ‘’são casos raros’’

Volta às aulas para ensino básico seguem suspensas em Pernambuco até 22 de setembro - Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A morte de mais uma criança, vítima da síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica, doença rara associada à covid-19, reacendeu a polêmica da volta às aulas para o ensino básico em Pernambuco, que seguem suspensas até o dia 22 de setembro. A prorrogação da data, inclusive, foi duramente criticada pelo presidente do Sindicato dos Estabelecimento de Ensino de Pernambuco (Sinepe-PE), José Ricardo Diniz.

Em entrevista ao Por Dentro com Cardinot, a infectologista pediátrica, Cristiana Meirelles, comentou que as aulas presenciais já poderiam ter retornado em Pernambuco, pois a síndrome é considerada rara e as unidades de saúde sabem como tratá-la de forma precoce. 

>>>>infectologista explica cuidados e tratamento da síndrome associada à covid-19

>>Síndrome rara pode atingir crianças e adolescentes que não foram infectadas pela covid-19, afirma pediatra

‘’A gente sabe com manejar  a conduta terapêutica. O mais importante é saber quando levar a o pronto-socorro para fazer a identificação precoce, o diagnóstico e tratamento. São casos raros, o óbito é mais raro e não justifica manter as escolas fechadas por conta desse risco’’, afirmou.  

E continuou: ‘’Na maior parte do Brasil, já é recomendo o retorno tomando as medidas de prevenção. A síndrome é considerada rara e tem poucos casos no mundo inteiro. Identificando precocemente a gente sabe como tratar, diferente da covid-19 que a gente ficava perdido no tratamento dos adultos’’, completou a infectologista pediátrica, Cristiana Meirelles.

Medicamento

De acordo com o presidente do Conselho Regional de Medicina (Cremepe), Mário Fernando Lins, o medicamento já está disponível na rede pública de saúde e os hospitais de referência podem fazer a solicitação. Os casos da síndrome rara associada à covid-19 atinge crianças e adolescentes.

>>infectologista explica cuidados e tratamento da síndrome associada à covid-19
‘’Nós conseguimos a garantia de mais 20 leitos de UTI para crianças; a imunoglobulina, que é importante na fase aguda da doença, já está viável na rede pública (de saúde) e os gestores podem solicitar dos estoques que foram remanejados. Os casos que são diagnosticados são encaminhados’’, afirmou. 

Protocolo

O protocolo de segurança contra o novo coronavírus para retomada das aulas presenciais já foi divulgado pelo Governo de Pernambuco. As instituições de ensino precisam se adequar as normas abaixo, mesmo que o retorno para o ensino básico ainda não tenha sido liberado. 

  • Reduzir a ocupação das salas de aula
  • Adotar revezamento de turmas, se necessário

Distanciamento social

  • Manter, pelo menos, 1,5 m (um metro e meio) de distância entre os estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores, em todos os ambientes do estabelecimento de ensino;
  • Estabelecer o número de estudantes por turma, observando rigorosamente as normas de distanciamento, 1,5m (um metro e meio) entre as bancas escolares, reduzindo a quantidade de estudantes, se necessário;
  • Promover diferentes intervalos de entrada, saída e alimentação entre as turmas, com o objetivo de evitar aglomerações.
    Prevenção/proteção
  • Utilizar a máscara de forma obrigatória e contínua, por todas as dependências do estabelecimento de ensino, devendo ser observadas as orientações específicas quando se tratar de crianças até dois anos de idade;
  • Disponibilizar, para uso dos estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores local para lavagem frequente das mãos, provido de sabão, toalhas de papel além da disponibilização do álcool 70%, em pontos estratégicos de fácil acesso;
  • Higienizar grandes superfícies com os seguintes produtos: hipoclorito de sódio a 0.1%; alvejantes contendo hipoclorito (de sódio, de cálcio) a 0,1%; dicloroisocianurato de sódio (concentração de 1,000 ppm de cloro ativo); iodopovidona (1%); peróxido de hidrogênio 0.5%; ácido peracético 0,5%, quaternários de amônio, por exemplo, o Cloreto de Benzalcônio 0.05%; compostos fenólicos; desinfetantes de uso geral aprovados pela Anvisa, observando as medidas de proteção, em particular o uso de equipamentos de proteção individual (EPI) quando do seu manuseio.

Monitoramento e educação

  • Elaborar cartilha de orientação sobre os cuidados básicos de prevenção do novo coronavírus para disponibilizar pela internet para estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores;
  • Orientar estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores dos estabelecimentos de ensino que apresentarem sintomas gripais, e os seus contatos domiciliares, a acessarem o aplicativo “Atende em Casa” (www.atendeemcasa.pe.gov.br). Durante o acesso, serão orientados sobre como proceder com os cuidados, inclusive sobre a necessidade de procurar um serviço de saúde.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.