COVID-19

Pesquisa diz mutações deixam o novo coronavírus mais resistente e contagioso; infectologista explica

A mutação pode ter relação com o aumento do número de "coroas" do novo coronavírus, revela o estudo feito nos Estados Unidos


Pesquisa diz mutações deixam o novo coronavírus mais resistente e contagioso; infectologista explica

Mutações podem deixar o novo coronavírus mais resistente e contagioso, aponta pesquisa - Foto: Freepick

Com informações do Por Dentro com Cardinot

Um estudo realizado pelo Hospital Metodista de Houston, nos Estados Unidos revela que mutações deixam o novo coronavírus cada vez mais resistente e contagioso. A pesquisa foi publicada na plataforma MedRxiv analisou mais de 5 mil genomas de pessoas recuperadas da primeira onda de casos do novo coronavírus. Em entrevista ao Por Dentro com Cardinot, o diretor da Sociedade Brasileira de Infectologia, Antônio Bandeira, explicou os fatores que que podem deixar o novo coronavírus mais perigoso.

>>Novo coronavírus pode afetar visão, pulmão e memória? Médico explica sequelas

‘’Você vai tendo sub cepas diferentes. A análise aponta que uma cepa começa a disparar. Um norte-americano fez um levantamento que em uma cidade havia um crescimento muito grande e outra não. Na cidade com muitos caos, você tinha uma cepa que foi rapidamente espalhando pela cidade. Isso não acontece só nos Estadas Unidos. Acontece no Brasil, Equador, na Itália e em outras partes do mundo. O vírus não fica parado. Pega um pedaço da nossa membrana quando sai e gera no organismo pequenas mutações. Muitas não levam a nada, mas outras são capazes de infectar com mais intensidade’’, explicou. 

Ainda de acordo a pesquisa americana, a mutação pode ter relação com o aumento do número de "coroas" do novo coronavírus, que interfere na fixação das células. A mutação ficou conhecida pelos cientistas do hospital Metodista de Houston como D614G, por causa das cepas (grupo de descendentes que compartilham semelhanças morfológicas ou fisiológicas). 

‘’O que aconteceu é que o vírus está passando por milhões de pessoas no mundo inteiro e sub cepas que podem ser mais transmissíveis, ou seja, elas facilmente se transmitem de uma pessoa para outra. O que vai exigir não é a gente desprezar máscara ou distanciamento. Pelo contrário, buscar máscaras melhores, como a N-95, para prevenir desse potencial chegada e seleção desse tipo de vírus. No momento que ele infecta uma pessoa, você uma monte de sub cepas’’, contou.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.