RENDA MíNIMA

Definição sobre programa que substituirá Bolsa Família e Auxílio Emergencial fica para depois das eleições

O Renda Cidadã deve substituir o Bolsa Família e suprir a lacuna deixada pelo fim do auxílio emergencial, a ser pago somente até 31 de dezembro

Definição sobre programa que substituirá Bolsa Família e Auxílio Emergencial fica para depois das eleições

Segundo Bittar, a criação do programa não ultrapassará o teto de gastos da administração pública, estabelecido pela Emenda Constitucional 95. - Foto: Marcello Casal Jr./ABr

Com informações da Agência Senado

O senador Marcio Bittar (MDB-AC) afirmou que a decisão sobre o programa Renda Cidadã ficará para depois das eleições municipais, que acontecerão entre os dias 15 e 29 de novembro, para garantir mais tempo de análise e debate sobre o projeto.

 

Bittar, que é o relator do Orçamento de 2021 e da PEC 186/2019, a PEC Emergencial, onde deve ser inserido o programa, disse que prefere esperar mais alguns dias para poder apresentar um texto consensual.

 

>> Definição sobre programa que substituirá Bolsa Família e Auxílio Emergencial é adiada

>> Fonte de financiamento do programa Renda Cidadã deve ser divulgada após as eleições 

>> Definição sobre Renda Cidadã fica para depois das eleições municipais

 

Financiamento

O Renda Cidadã, proposta que deve substituir o Bolsa Família e suprir a lacuna deixada pelo fim do auxílio emergencial, a ser pago pelo governo federal somente até 31 de dezembro, enfrenta impasses relacionados ao seu financiamento. A principal questão é como subsidiar o programa sem criar gasto adicional, para respeitar o teto de gastos.

"Tem oito milhões de brasileiros que, a partir de janeiro, se nós não criarmos o Renda Brasil, eles não têm do que se alimentar", disse Marcio Bittar, que também é o relator do projeto da Lei Orçamentária Anual de 2021 (PLN 28/2020) e da PEC do Pacto Federativo (PEC 188/2019).

Na avaliação de Marcio Bittar, o consenso entre as lideranças partidárias é fundamental para a aprovação do Renda Cidadã. "Nesse momento de eleição, a eleição não é bom conselheiro, muitos deputados e senadores estão muito envolvidos com isso", afirmou.

 

>> Renda Cidadã: entenda o programa que substituirá auxílio emergencial e Bolsa Família

>> Governo vai manter o Bolsa Família, diz Bolsonaro

>> Confira valor do salário mínimo para 2021

 

Ele frisou que, após as eleições municipais, haverá "condições mais sólidas" para a criação do novo programa social.

"Eu penso que estou dando uma contribuição para que a gente, antes de terminar o ano, criemos o programa. Para dizer, principalmente a essas oito milhões de pessoas, que elas fiquem tranquilas. A partir de janeiro do ano que vem, o Estado vai continuar prestando um apoio, uma assistência para que elas possam manter o mínimo de dignidade humana", acrescentou.

Segundo Bittar, a criação do programa não ultrapassará o teto de gastos da administração pública, estabelecido pela Emenda Constitucional 95.

 

>> Programa que deve substituir Bolsa Família vai unificar benefícios sociais

>> Programa que substituiria auxílio emergencial e Bolsa Família fica fora do orçamento de 2021

>> Projeto institui renda básica com ampliação do Bolsa Família

>> Auxílio emergencial é prorrogado; confira até quando e novo valor

>> Bolsonaro diz que proposta de programa que substituiria Bolsa Família está suspensa

>> Programa que substituiria Bolsa Família e Auxílio Emergencial é suspenso por divergências sobre parcelas

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.