CASO DE POLíCIA

Delgado sobre assalto a banco em Criciúma: ''O maior roubo no estado de Santa Catarina"

Os moradores de Criciúma, em Santa Catarina, viveram uma madrugada de terror

Delgado sobre assalto a banco em Criciúma: ''O maior roubo no estado de Santa Catarina

Criminosos fizeram catadores de lixo reféns em Criciúma - Foto: Reprodução/Twitter

Com informações do SBT e JC Online

A Polícia Militar de Santa Catarina realizou coletiva de imprensa, nesta terça-feira (01), sobre o assalto ao Banco do Brasil, que aconteceu no município de Criciúma. De acordo com o sub-comandante geral da Polícia Militar, Coronel Pontes, o BOPE segue com as buscas na região para localizar a rota de fuga da quadrilha. Até o momento, quatro suspeitos foram presos e R$ 810 mil reais recuperados. 

O secretário de Segurança Pública de Santa Catarina, Paulo Koerichbe, falou sobre o assalto que repercutiu em todo o Brasil. "As forças de segurança de Santa Catarina, quando foram acionadas no início da madrugada, iniciaram o trabalho imediatamente (...) " o crime que foi praticado nos chama a atenção pela ousadia e pela violência empregada. Felizmente, não tivemos morte, mas não vamos tolerar esse crime", afirmou. 

O governador, Carlos Moisés, e Anselmo Cruz, titular da Delegacia de Roubos e Anti-sequestros também estiverem presentes para falar dos desdobramentos e a investigação do assalto em Criciúma. "Muito provavelmente são criminosos de outro estado, pelo tamanho da ação", disse o governador da Santa Catarina. 

Já o delegado afirmou que "há uma mobilização policial muito forte. Em paralelo a isso, iniciou-se um trabalho de investigação para tratar desse que podemos já afirmar ser o maior roubo, de maiores proporções já acontecido no estado de Santa Catarina", acredita o delegado.

Relembre o caso em Criciúma

Por volta da meia noite, bandidos fortemente armados cercaram o centro de Criciúma para assaltar agências bancárias. Com o intuito de não deixar os policiais se aproximassem, os bandidos deram vários tiros e fizeram barricadas com carros, além de usar reféns. A ação criminosa terminou por volta das 3h. Os criminosos também bloquearam diversas ruas para impedir a reação da polícia de Criciúma.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.