SAUDAÇÕES

No Twitter, Bolsonaro reconhece vitória de Joe Biden, presidente dos EUA

Presidente Jair Bolsonaro saudou o futuro postulante à Casa Branca

No Twitter, Bolsonaro reconhece vitória de Joe Biden, presidente dos EUA

Presidente da República, Jair Bolsonaro - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro reconheceu a vitória de Joe Biden e mandou um recado para o postulante à Casa Branca, nos Estados Unidos. "Saudações ao Presidente @JoeBiden, com meus melhores votos e a esperança de que os EUA sigam sendo “a terra dos livres e o lar dos corajosos", escreveu Bolsonaro.

Veja

O post foi publicado no twitter do presidente, na tarde desta terça-feira (15). "Estarei pronto a trabalhar com o novo governo e dar continuidade à construção de uma aliança Brasil-EUA, na defesa da soberania, da democracia e da liberdade em todo o mundo, assim como na integração econômico-comercial em benefício dos nossos povos.", complementou Jair. 

>>>Covid-19: "Vão ter que assinar termo de responsabilidade", diz Bolsonaro sobre vacina

Vacinação contra covid-19

O presidente Jair Bolsonaro assinará, nesta terça-feira (15), a Medida Provisória com o aval à liberação de R$ 20 bilhões para a compra de vacinas contra a covid-19. Ao fazer o anúncio aos apoiadores que o aguardavam em frente ao Palácio da Alvorada, na noite desta segunda-feira, porém, ele menosprezou a imunização.

"Não é obrigatória. Vocês vão ter que assinar o termo de responsabilidade, se quiserem tomar. A Pfizer é bem clara no contrato: "Não nos responsabilizamos por efeito colateral'. Tem gente que quer tomar, então toma. A responsabilidade é sua. Para quem está bem fisicamente, não tem que ter muita preocupação. A preocupação é o idoso, quem tem doença", disse Bolsonaro.

>>>Coronavírus: Pernambuco confirma 734 novos casos e 25 óbitos

>>>“É menos ruim ter inflação que um desabastecimento”, diz Bolsonaro

>>>Bolsonaro volta atrás e revoga decreto que previa privatização de unidades básicas de saúde

Os ex-presidentes Barack Obama, George W. Bush e Bill Clinton, já se prontificaram a promover a vacinação nos Estados Unidos. Os imunizantes são a aposta da ciência para que mais vidas não sejam perdidas pela covid-19, que já matou cerca de 1,6 milhão de pessoas no mundo, sendo mais de 181 mil somente no Brasil.

Na conversa com os apoiadores, Bolsonaro também usou uma passagem bíblica para criticar a "fraqueza" a crise sanitária. "Tem uma passagem bíblica, Provérbios 24:10. 'Se tu te mostrares fraco na hora da agonia, tua força é pequena'. Tem que encarar, pô! Tem que lutar", disse.

Vitória do democrata

Colégio Eleitoral dos Estados Unidos confirmou, nesta segunda-feira (14), a vitória do democrata Joe Biden na eleição presidencial deste ano.

Na Califórnia, estado mais populoso dos EUA, foram entregues 55 delegados a Biden, colocando oficialmente o ex-vice-presidente acima dos 270 votos necessários para garantir a Casa Branca.

Com base nos resultados da votação de novembro, Biden obteve 306 votos do Colégio Eleitoral contra 232 do republicano Donald Trump. Biden e sua companheira de chapa, Kamala Harris, tomam posse no dia 20 de janeiro.

Com a votação sem surpresas no Colégio Eleitoral  as esperanças do atual presidente de se manter no poder irão se concentrar em uma reunião especial do Congresso no dia 6 de janeiro, mas as chances a favor dele são praticamente nulas. 

Biden será a pessoa mais velha a se tornar presidente dos Estados Unidos, aos 78 anos.

Mais cedo, os membros do Colégio Eleitoral da Geórgia, Pensilvânia e Wisconsin votaram em Biden, assim como eleitores do colegiado no Arizona. 

Sistema Eleitoral

Sob um sistema que opera desde 1780, um candidato se torna presidente dos Estados Unidos não por conquistar a maioria do voto popular, mas pelo sistema do Colégio Eleitoral, que distribui os votos eleitorais para os 50 Estados e para o Distrito de Columbia baseando-se em grande parte na população de cada unidade federativa. 

Os eleitores são tipicamente membros de partidos que representam o candidato vencedor em cada estado, com a exceção do Maine e de Nebraska, que distribuem os votos do Colégio Eleitoral ao candidato presidencial que venceu em cada um dos distritos do Estado. 

Embora por vezes alguns membros "dissidentes" votem em um candidato diferente do vencedor do voto popular em seus estados, a vasta maioria deles apenas confirma os resultados, o que também ocorreu nesta segunda-feira (14).

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.