SUSTO

Vídeo: socorrista do Samu desmaia de medo de agulha na hora de se vacinar

Rodrigo José, de 38 anos, faz parte do grupo prioritário e foi vacinado contra a covid-19

Vídeo: socorrista do Samu desmaia de medo de agulha na hora de se vacinar

A cena foi registrada no município de Itumbiara, no Estado de Goiás - Foto: FOTO: Reprodução/Instagram

O pânico de agulha é grande, mas o socorrista do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Rodrigo José dos Santos, 38 anos, fez questão de tomar a vacina contra a covid-19. A cena foi filmada por um amigo e mostra quando Rodrigo treme, pede para ser segurado e chega a desmaiar. A cena aconteceu em Itumbiara, Goiás.

>>>Covid-19: Pernambuco estima receber 84 mil doses da vacina da AstraZeneca

Rodrigo faz parte do grupo prioritário e foi vacinado na quarta-feira (20). Ele lembra que sua reação não tem nada a ver com a vacina e apenas por conta da agulha, pedindo que as pessoas se imunizem contra a covid-19. “Quero pedir a todos que tomem a vacina. Não aconteceu pelo fato de ter medo da vacina, mas sim pela minha fobia”, destacou.

O socorrista diz que não esperava tanta repercussão - o vídeo gravado pelo colega plantonista circulou nas redes sociais.

Assista

Vacinas em Pernambuco

As duas milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca/Fiocruz, desenvolvida em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), começam a ser enviadas para os Estados na tarde deste sábado (23). O secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, acredita que, seguindo o critério de percentual populacional (o Estado tem 4,5% da população brasileira), a previsão é que Pernambuco receba 84 mil doses neste primeiro lote da AstraZeneca. O voo com o imunizante chegou, no fim da tarde da sexta-feira (22), ao Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, e a carga foi transportada em um avião da Azul até a Base Aérea do Galeão, à noite. As vacinas prontas foram fabricadas pelo Instituto Serum, na Índia, e eram aguardadas desde sábado (16), mas tiverem atraso no envio.

Na manhã deste sábado (23), André Longo concedeu entrevista à CNN Brasil e informou que, com relação à vacina Oxford/AstraZeneca/Fiocruz, a expectativa é que se tenha um intervalo maior entre as doses, que é de 4 a 12 semanas. "Ou seja, teríamos até três meses para aplicar segunda dose, e isso permitiria usar todo o quantitativo que está vindo neste primeiro momento para ampliar o processo de vacinação, imunizando, no caso de Pernambuco, 84 mil pessoas, já que se prevê a chegada de 84 mil doses. Nós vacinaríamos e aguardaríamos a produção da Fiocruz, que prevê entregar até 50 milhões de doses até abril", disse Longo à CNN. Com isso, ele acredita que há tempo para ser entregue a segunda dose para essas 84 mil pessoas. "Na realidade, esperamos receber muito mais do que 80 mil doses, o que daria, neste primeiro momento, para fazer um planejamento de ampliação do processo de vacinação para mais pessoas."

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.