AUXíLIO EM 2021

Novo Auxílio emergencial já tem previsão de início e fim: ministros e parlamentares discutem recriação do benefício

Presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, e ministro da Economia, Paulo Guedes, se reuniram para discutir o auxílio emergencial

Novo Auxílio emergencial já tem previsão de início e fim: ministros e parlamentares discutem recriação do benefício

Lira e Pacheco pedem extensão do auxílio emergencial até junho - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Com informações da Agência Brasil

Os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), reuniram-se com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos para discutir a recriação do auxílio emergencial.

Os parlamentares avançaram nas discussões com a equipe econômica. Em troca da prorrogação do auxílio, o Congresso Nacional votará propostas de emenda à Constituição (PECs) que introduzem uma cláusula de calamidade pública, acompanhada de medidas de corte de gastos.

 

>> Vice-presidente, Hamilton Mourão, defende Bolsonaro sobre auxílio emergencial

>> Novo auxílio emergencial: veja o que diz o Governo sobre aumento de impostos para financiar benefício

>> Paulo Guedes diz que auxílio pode ser de R$ 250 e fala sobre Bolsa Família

 

“É fundamental que haja cláusula de calamidade pública para que possamos fazer a flexibilização necessária para o auxílio”, disse Pacheco após a reunião. Incluída na PEC Emergencial, em tramitação no Congresso desde 2019, a cláusula de calamidade pública exclui do teto federal de gastos o pagamento de uma nova rodada do auxílio emergencial.

 

>> Auxílio emergencial: Medidas provisórias que permitiram o pagamento perdem a validade; entenda o que significa

>> Além do Auxílio Emergencial, novo programa de renda fixo e ampliação do Bolsa Família são discutidos

>> Novo auxílio emergencial: benefício pode voltar a ser pago em março, diz Bolsonaro

>> Auxílio emergencial: caso benefício volte em março, qual será o valor da parcela?

>> Será criado um novo imposto para financiar o auxílio emergencial em 2021? Veja o que diz o Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco

 

 

>> Prorrogação do auxílio emergencial: valor de R$ 200 a R$ 600, redução de beneficiários, duração de 4 a 12 meses; veja propostas em análise no Governo

>> Novo auxílio emergencial: Proposta do governo pode reduzir valor, cortar Bolsa Família e fazer exigências aos beneficiários

>> Auxílio emergencial e Bolsa Família: instalada com 316 dias de atraso, comissão que vai analisar benefícios em 2021 tem prazo para definições

>> Auxílio emergencial: Ministro da Economia, Paulo Guedes, se reúne com presidente de comissão que vai avaliar prorrogação

>> Auxílio emergencial: Após Paulo Guedes dizer que Bolsa Família pode ficar fora, Bolsonaro também sinaliza redução de beneficiários

 

Prazo

O auxílio emergencial deveria ser pago de março a junho, disseram os participantes do encontro, que aconteceu na última sexta (12). O valor das parcelas e o período do pagamento ainda serão definidos. A quantidade de parcelas e quem terá direito ao benefício também ainda dependem de uma definição do Governo.

O almoço ocorreu na residência oficial da presidência do Senado. Pacheco ressaltou que os parlamentares pediram que o benefício seja pago de março a junho, mas reconheceu que o Congresso tem de fazer a sua parte e aprovar propostas de ajuste fiscal para tornar viável a extensão do pagamento do benefício.

 

>> Carnaval 2021: Prefeitura de Olinda também anuncia auxílio emergencial; saiba mais

Governo de Pernambuco cria auxílio emergencial para artistas; saiba mais

>> BIP: Novo auxílio emergencial é analisado pelo Governo e pode pagar até R$200 por mês

>> Bolsonaro fala em 'novo auxílio' para substituir auxílio emergencial

>> Presidente do Senado espera que decisão sobre volta do auxílio emergencial seja tomada ainda nesta semana

 

“Há uma expectativa do Congresso, que é da sociedade, de que seja aprovado o auxílio. Que seja um auxílio suficiente para alcançar o maior número de pessoas, com a responsabilidade fiscal que é preciso ter, no Brasil. A expectativa é que possamos ter [o benefício] nos meses de março, abril, maio e eventualmente no mês de junho”, declarou Pacheco.

 

Prioridades

Segundo Pacheco, a prioridade do Congresso neste momento são o auxílio emergencial e a vacinação em massa contra a covid-19. Mesmo assim, ele disse que os parlamentares estão dispostos a seguir o cronograma de reformas e citou a reforma tributária como destaque.

“Nesta reunião, externamos ao ministro Guedes e ao ministro Ramos o que é o desejo e expectativa do Congresso em relação a este momento. A prioridade absoluta é vacina e auxílio emergencial, que só deixarão de ser prioridade, quando a pandemia acabar”, ressaltou o presidente do Senado.

 

>> Prefeitura do Recife anuncia auxílio emergencial de Carnaval; veja quem tem direito e como será

>> Incremento no Bolsa Família ou novo auxílio emergencial: Presidente do Senado volta a falar sobre benefício

>> ''Estamos negociando'', diz Jair Bolsonaro sobre prorrogação do auxílio emergencial

>> Novo auxílio emergencial: Pacheco e Guedes querem benefício em troca de pauta fiscal

 

Avanços

De acordo com Guedes, a reunião terminou com progressos consideráveis. “Avançamos bastante. Compromisso com a saúde, vacinação em massa e auxílio emergencial e compromisso com a responsabilidade fiscal”, declarou o ministro.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.