EXPECTATIVA

Prorrogação do auxílio emergencial: 40 milhões de brasileiros devem receber benefício

O ministro da Economia, Paulo Guedes, anteriormente, previa um número menor de beneficiados pela prorrogação do auxílio emergencial


Prorrogação do auxílio emergencial: 40 milhões de brasileiros devem receber benefício

Prorrogação do auxílio emergencial deve ser confirmada em março pelo Governo Federal - Foto: Marcello Casal Jr./ABr

Após atingir 67 milhões de brasileiros em 2020, uma prorrogação do auxílio emergencial deve beneficiar mais de 40 milhões de brasileiros, de acordo com os números divulgados pela Folha de S.Paulo. A previsão é que o anúncio da prorrogação do auxílio emergencial deve ser feito em março. A projeção do Ministério da Economia é realizar um filtro e muitas pessoas podem ficar sem direito a prorrogação do auxílio emergencial.

Mesmo que a atual expectativa do ministro da Economia, Paulo Guedes, seja 8 milhões a mais do que o previsto no dia 4 de fevereiro, o número é menor do total de beneficiários no ano passado, quando o auxílio emergencial foi criado durante a pandemia da covid-19 para ajudar a população mais carente financeiramente do Brasil.

A ideia do governo, segundo o jornal Extra, é que a prorrogação do auxílio emergencial de parcelas seja depositada automaticamente, mas será feita uma seleção prévia no cadastro dos beneficiários que sacaram o auxílio no ano passado. Depois desse processo, diferente do que foi feito em 2020, os beneficiários não precisarão se inscrever para receber o auxílio. 

Valores da prorrogação

De acordo com o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, ainda não houve consenso sobre os valores de uma prorrogação do auxílio emergencial, mas pode ficar entre R$ 200 e R$ 250 para cada beneficiário. Além disso, existe a possibilidade de que do pagamento em dobro para mães solteiras, conforme realizado em 2020, seja retirado em caso de prorrogação do auxílio emergencial.

Última vez?

A prorrogação do auxílio emergencial tem sido um dos assuntos mais discutidos no Governo Federal. Em relação ao assunto, o presidente Jair Bolsonaro comentou o auxílio emergencial "não é uma aposentadoria", em entrevista exclusiva ao SBT de Santa Catarina, ao lado do secretario de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Júnior.

> Auxílio emergencial: governo sugere novo valor e estuda exclusão de beneficiários do Bolsa Família

> Novo Auxílio emergencial já tem previsão de início e fim: ministros e parlamentares discutem recriação do benefício

> Após fim do novo auxílio emergencial, deve ser criado programa de renda básica com valor maior, diz Paulo Guedes

"O pessoal tem que entender que chama emergencial. Isso não é uma aposentadoria. E cada vez que você paga, você tem um endividamento que, no futuro, o povo vai ter que pagar", afirmou o presidente da República.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.