saúde

Saiba o custo diário das vagas abertas de leitos de UTI para tratamento da covid-19


Os custos pagos da maioria dos leitos de UTI são divididos entre o governo federal e o governo estadual

Robert Sarmento
Robert Sarmento
Publicado em 15/04/2021 às 17:00
Hélia Scheppa/SEI
FOTO: Hélia Scheppa/SEI
Leitura:

Em coletiva online, o secretário estadual de saúde, André Longo, revelou quanto custa diariamente uma vaga aberta de leito de Unidade de Terapia Intensiva para tratamento de casos da covid-19 em Pernambuco. De acordo com o secretário, até esta quinta-feira (15), o Estado tem 1604 leitos de UTI, sendo que 759 estão habilitados pelo Ministério da Saúde, enquanto o governo estadual ainda aguarda o repasse dos valores feito pelo governo federal.

''Pernambuco complementa duas modalidades. Uma que vigorou até fevereiro, que custava R$ 2 mil. Dos leitos habilitados pelo Ministério da Saúde, o governo federal paga R$ 1,6 mil e o governo estadual completa. Nós renovamos o chamamento emergencial (a segunda modalidade) por três meses e esse valor foi para R$ 2,4 para permitir uma maior expansão de leitos, aumentado para R$ 800 o complemento do Estado na diária'', afirmou.

Leitos de UTI

Vale lembrar que nem todos os leitos são de UTI, segundo André Longo. Além disso, para a vaga ser aberta, não é necessário ter o aval do Ministério da Saúde, pois o a Secretária Estadual de Saúde (SES-PE) tem autonomia para garantir o funcionamento dos leitos de UTI, desde que existe dinheiro para o financiamento diário.

> Médico reencontra professora da pré-escola após 35 anos e ajuda a tratá-la da covid-19

> Vacina da covid-19 x influenza: Qual tomar primeiro, intervalo entre doses e têm efeitos colaterais?

''Nem todos os leitos à disposição da Central de Leitos do Estado são de UTI e estão habilitados pelo Ministério da Saúde. Apenas 759 estão, o que corresponde 47% dos leitos. Nos demais leitos, o Estado está entrando com todos os financiamentos. Existem processos em trâmite para a habilitação e houve o compromisso do Ministério da Saúde em fazer o pagamento desses leitos de forma retroativa'', completou o André Longo.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95

Mais Lidas